Províncias

As terras aráveis do Cuvango

O administrador municipal do Cuvango, Miguel Luís, anunciou a identificação de mais de trinta mil hectares de terras aráveis, que começam a ser distribuídos à população.

Várias parcelas de terras boas para a agricultura e instrumentos agrícolas foram distribuídos a famílias no município do Cuvango
Fotografia: Arimateia Baptista | Lubango

Miguel Luís, que prestou a informação ao Jornal de Angola, explicou que as terras aráveis foram identificadas no quadro do programa de diversificação da economia e fomento agrícola.
O administrador municipal indicou que as terras aráveis estão situadas na localidade de Tchambango, comuna do Galangue, Vicungo e arredores da sede municipal do Cuvango.
“Estamos a incentivar a população a produzir cereais, hortícolas e tubérculos de forma segura”, disse Miguel Luís.
O Cuvango, esclareceu o responsável, possui uma diversidade de terras adequada para a produção de cerais. Estão em curso acções destinadas ao cultivo do arroz em grande escala. Para isso, foram criados mecanismos que visam levar a população a participar no processo produtivo.
“Temos várias acções no município, sobretudo no tocante à agricultura. Estamos a arranjar algumas parcelas de terras para as pessoas poderem produzir e terem uma agricultura mecanizada”, disse Miguel Luís. O administrador municipal informou que o acesso às terras para o cultivo é simples. Basta o requerente dirigir um requerimento à administração municipal do Cuvango e, em conjunto com a Direcção Provincial da Agricultura, é cedido o espaço.
A administração municipal vai distribuir terras a todos aqueles que têm capacidade de tirar o maior rendimento dos espaços cedidos. “Precisamos de pessoas capazes de cultivarem a terra e não aqueles que depois de terem acesso não fazem o seu uso”, alertou.
O sector da agricultura está a ser encarado com muita responsabilidade, porque é dele que se obtém alimentos para combater a fome. “Queremos pessoas que requerem os terrenos e comecem a trabalhar. Se requererem o espaço e a área ficar inactiva, ficamos constrangidos.” O município tem boas condições climáticas e recursos para a produção de cereais, hortícolas e tubérculos, alimentos necessários à região e para serem distribuidos também para outros municípios da Huíla e outras províncias.
O administrador afirmou que  a situação de guerra já está ultrapassada e é chegado o momento de serem envidados esforços para o cultivo de bens alimentares, “provando ao mundo que somos competentes em produzir e exportar produtos agrícolas”.

Tempo

Multimédia