Províncias

Assembleia de Deus Pentecostal apoia idosos em Benguela

Maximiano Filipe | Benguela

Um total de 840 pessoas da terceira idade beneficiaram de bens alimentares diversos, de Janeiro a Abril do corrente ano, numa acção promovida pelo departamento “Bom Samaritano”, afecto à Igreja Assembleia de Deus Pentecostal de Benguela.

São doados com frequência bens de primeira necessidade a lares da terceira idade
Fotografia: Eduardo Cunha | Edições Novembro

Os beneficiários, na sua maioria abandonados pelos familiares, deambulam pelas ruas da cidade de Benguela, pedindo esmola.
Dos bens doados, constam produtos como arroz, feijão, fuba de milho, açúcar, sabão, óleo, massa, sal, leite e roupa usada.
De acordo com a coordenadora geral do departamen-to “Bom Samaritano”, Conceição Prazeres, “é na base de um programa específico virado para o desenvolvimento de acções de solidariedade para com os mais desfavorecidos, sobretudo a pessoa idosa, que se têm realizado iniciativas do género na região”.
Os idosos, acrescentou a responsável, beneficiam também de acompanhamento espiritual e psicológico.
Acções do género, ainda de acordo com Conceição Prazeres, serão extensivas a todos os municípios do interior da província de Bengsuela, no sentido de minimizar a falta de condições alimentares que se regista no seio de pessoas idosas.
Das actividades realizadas pelos membros da igreja, consta também o acompanhamento regular aos idosos desprotegidos, tendo como metodologia específica a realização de sessões de auscultação das suas preocupações.
Com a realização destas acções, a igreja pretende contribuir para a estratégia do Governo, no domínio da acção social, que visa garantir qualidade de vida e bem-estar às pessoas em condição de invalidez.

Idosos melhor protegidos

O Lar da Terceira Idade “Hon-djo Yetu”, localizado na zona F, arredores de Benguela, a nordeste do vale do rio Cava-co, controla 52 idosos internos, que regularmente beneficiam de atenção especial, com destaque para consul-tas de rotina para o controlo da malária e prevenção de outras doenças.
São maioritariamente ve-lhos lançados à sua sorte pelos familiares, alguns trazidos ao lar pelos seus filhos, irmãos e/ou netos.
No lar Hondjo Yetu, os idosos beneficiam de três refeições por dia e de tratamento médico e de higiene corporal, actividades que caracterizam a instituição de acolhimento de pessoas na condição de invalidez desde a sua fundação, em 1972.
A instituição recebe apoio directo do gabinete provincial da Assistência e Reinserção Social e no domínio da sua acção social tem recebido também apoios provenientes de organizações da sociedade civil, tais como igrejas e organizações políticas. Com sete trabalhadores, entre vigilantes e assistentes à pessoa idosa, o centro possui 63 dormitórios, totalmente apetrechados, visando garantir melhor comodidade e conforto aos mais velhos.
O lar possui outras valências, nomeadamente um espaço de lazer e recreação, um posto médico, com nove enfermeiros.
Uma das preocupações manifestadas pelos idosos prende-se com a falta de transporte colectivo, para permitir a realização de actividades em locais históricos da província e não só, bem como a promoção de encontros in-terprovinciais com os idosos que se encontram outros centros de acolhimento existen-tes no país.
De acordo com a responsável do lar, Luzia Cecília, a direcção da instituição, com o apoio do governo local, está a trabalhar na criação de condições que visam elevar a satisfação dos idosos.
A responsável do lar explicou que, em função da atenção especial que beneficiam, os idosos passam o dia motivados, apesar de lamenta-rem a ausência total dos seus familiares.
Luzia Cecília aconselhou as famílias no sentido de prestarem maior atenção à pessoa idosa, uma fase que todo o ser humano poderá alcançar. “É fundamental que os idosos sejam visitados, porque, do ponto de vista psicológico, a presença da família influencia positivamente na vida e estabilidade emocional dos mesmos”, concluiu Luzia Cecília.

Tempo

Multimédia