Províncias

Aumenta o número de alunos matriculados

Valter Gomes | Uíge

As estatísticas disponíveis pelo sector da Educação do Uíge apontam para um aumento de 24.609 alunos matriculados nas escolas do Estado, no ano lectivo de 2017, com arranque previsto para início do mês de Fevereiro, revelou o seu director.

Aulas arrancam nos próximos dias e vão ser asseguradas por milhares de professores
Fotografia: António Soares |Cabinda-Edições Novembro

Manuel Zangala salientou que, para este ano, foram matriculados nas escolas do ensino primário e do I e II ciclos do ensino secundário um total de 522 mil alunos da iniciação a 12.ª classe. Em 2016, o número de estudantes registados foi de 497.391.
O director provincial da Educação explicou que o aumento de alunos deve-se ao facto das salas de aula concluídas e inauguradas no ano passado oferecerem óptimas condições para acolher milhares de alunos, além da disponibilidade de mais professores, admitidos no último concurso público de acesso, realizado, em 2016.
Manuel Zangala garantiu que as aulas do ano lectivo, que arranca nos próximos dias, vão ser asseguradas por mais de 14 mil professores, distribuídos pelos municípios, comunas e aldeias da província.
O responsável assegurou que as condições estão criadas, para o arranque das aulas no dia 02 de Fevereiro. “Já apelámos aos professores e alunos no sentido de comparecerem nas escolas a partir do primeiro dia”, lembra.
O director da Educação informou que foram criados núcleos do I e II ciclos do ensino secundário em algumas aldeias e regedorias de vários municípios da província, para evitar que muitos jovens deixem de estudar antes de concluir a 12ª classe.
“Concluído que está o processo de matrículas, o sector vai continuar a reforçar os conhecimentos didácticos e pedagógicos dos professores, para permitir que ao longo do ano lectivo desempenhem as suas actividades lectivas com zelo e profissionalismo, sem as habituais falhas na formação das novas gerações”, disse Manuel Zangala, para acrescentar que o processo de ensino   requer profissionais bem capacitados pedagogicamente, por isso, o sector trabalha para o aumento da qualidade do ensino nas escolas.
Neste ano, a Direcção Provincial da Educação vai premiar os professores do ensino primário que conseguirem fazer ler e a escrever os alunos da primeira classe, anunciou Manuel Zangala.
“Vamos dar um prémio para quem conseguir atingir 60 por centos do objectivo preconizado”, garantiu Manuel Zangala.
O responsável esclarece que o objectivo do prémios é incentivar a criatividade e o desempenho dos professores primários, acabar com o índice de crianças que transitam de classe sem saber ler nem escrever, bem como permitir que no futuro o país conte com quadros capazes para exercer qualquer profissão ou função.

Tempo

Multimédia