Províncias

Aumentam kupapatas no Sumbe

Víctor Pedro | Sumbe

O número de jovens a prestarem serviço de táxi com motorizadas aumentou vertiginosamente na cidade do Sumbe, capital da província do Kwanza-Sul.

Kupapatas dizem exercer trabalho digno
Fotografia: Jornal de Angola

O número de jovens a prestarem serviço de táxi com motorizadas aumentou vertiginosamente na cidade do Sumbe, capital da província do Kwanza-Sul.
Os kupapatas têm coberto a falta de transportes para deslocação de pessoas e bens do centro da cidade para os bairros periféricos ou mesmo para os municípios.
Os kupapatas, apesar de reconhecerem que a sua tarefa não é fácil, pois exige deles muita concentração e acarreta sérios riscos, referem que a actividade é nobre e é, para muitos, a única alternativa de trabalho. Há três anos que Júlio Aníbal faz este serviço. Disse ao Jornal de Angola que o seu trabalho é necessário, porque facilita a movimentação de pessoas e bens até áreas recônditas, de difícil acesso por outros meios. Além disso, referiu, “dá-me a possibilidade de ganhar algum dinheiro para sustentar a família”. No entender de Júlio Aníbal, o aumento de kupapatas diminuiu o índice de desemprego. “Muitos que anteriormente se dedicavam à delinquência na cidade do Sumbe passaram a exercer a actividade”, disse. Lindo Lourenço, também kupapata, defendeu a necessidade da criação de uma associação para garantia dos direitos e deveres dos moto-taxistas. “O Governo leva a cabo programas tendentes à melhoria da vida do povo angolano, mas estes muitas vezes não abrangem todos”, por isso temos que nos organizar”, disse.

Tempo

Multimédia