Províncias

Aumentam os casos de gravidez precoce

Uma média de 30 casos de gravidez precoce, em raparigas dos 12 aos 15 anos, são registados diariamente no Centro Materno Infantil da cidade de Saurimo, facto que tem preocupado a direcção da unidade sanitária.


A directora do Centro Materno Infantil, Antónia Domingos, disse ontem, à Angop, que as adolescentes gestantes têm tido partos muito complicados, por apresentarem insuficiência no desenvolvimento da pelve e muitas são obrigadas a sofrer cesarianas e/ou chegam até a perder a vida.
Antónia Domingos esclareceu que as meninas que se tornam mães muito cedo acabam por ter um futuro muito comprometido, queimam etapas no seu crescimento, deixam de estudar e perdem muitas oportunidades na vida, daí a necessidade de haver maior diálogo no seio familiar sobre a sexualidade, sem tabus. Antónia Domingos apontou o bairro Candembe, arredores da cidade de Saurimo, como sendo o que lidera a lista das adolescentes com gravidez precoce, que mais procuram o centro.  A unidade realiza 12 partos por dia, disse Antónia Domingos, que apontou como patologias mais frequentes o paludismo, doenças diarreicas e respiratórias agudas, gripe e tosse.
Localizado no bairro Txizainga, o Centro Materno Infantil de Saurimo presta serviços de consultas pré-natais, partos, pediatria, planeamento familiar, imunização, corte vertical (crianças nascidas saudáveis de mães seropositivas). A unidade sanitária é assegurada por 46 enfermeiros e 35 técnicos administrativos.
O centro tem áreas administrativas, farmácia, sala de conferências, laboratório, salas de parto e pois parto.

Tempo

Multimédia