Províncias

Aumentam os casos de violência doméstica

Lourenço Bule | Menongue

Mais de duzentos casos de violência doméstica foram registados na província do Cuando Cubango, no primeiro semestre de 2015, disse ontem, ao Jornal de Angola, na cidade de Menongue, a directora provincial da Família e Promoção da Mulher.

Campanhas de sensibilização sobre género e promoção de diálogo no seio das famílias são realizadas para combater a violência doméstica
Fotografia: Domingos Cadência

Florinda Alberto Katongo explicou que dos 235 casos de violência doméstica registados 53 foram resolvidos, 40 resultaram em divórcio, oito foram encaminhados à Procuradoria, sete aos Serviços de Investigação Criminal (SIC) e igual número à Justiça militar, tendo uma ocorrência sido encaminhada ao sobado e 119 estão  pendentes.  
Durante o período em referência 107 mulheres e 34 homens apresentaram queixas à Direcção Provincial da Família e Promoção da Mulher, informou Florinda Alberto Katongo, que acrescentou que do total dos casos se destacam  56 de ofensas morais e 14 corporais, 16 de fuga à paternidade, 19 de natureza económica, igual número de abandono de lar, 11 de desalojamento e seis de adultério.
Florinda Alberto Katongo realçou que, por falta de representações nos restantes municípios da província do Cuando Cubango, a instituição, durante o período em balanço, apenas registou casos no município de Menongue. 
A Direcção Provincial da Família e Promoção da Mulher tem como perspectivas, para o ano em curso, o desenvolvimento de campanhas de educação e sensibilização sobre o género, criação de um quadro orgânico e independente, visitas às mulheres internadas nos hospitais, promoção de diálogo no seio das famílias e realização de encontros com os representantes municipais e comunais, disse Florinda Alberto Katongo. Está igualmente prevista a capacitação das parteiras tradicionais nos municípios e aldeias, divulgação da lei contra a violência doméstica, acesso ao microcrédito, realização de palestras sobre as doenças transmissíveis, o apoio contínuo às mulheres rurais, a promoção de emprego, incentivar a adesão às aulas de alfabetização, concluiu a a directora provincial da Família e Promoção da Mulher no Cuando Cubango.

Tempo

Multimédia