Províncias

Aumentam registos de partos

José Chaves | Andulo

O centro materno-infantil do Andulo, com 702 partos, registou um aumento considerável de nascimentos, durante o primeiro semestre do ano, o que representa mais de 140 casos, em relação ao mesmo período da época anterior.

Há cada vez mais mulheres a preferirem realizar os partos nas unidades clínicas do Andulo deixando de lado os serviços das parteiras tradicionais
Fotografia: Rogério Tuti

A chefe da referida unidade sanitária, Edy Cambuta, afirmou que, durante o mesmo período, foram realizadas 38 cesarianas e 17 nado-mortos, sem registo de óbitos maternos. Durante o referido período, a responsável salientou que as patologias mais frequentes foram a malária, diarreias, doenças infecciosas e de transmissão sexual. A unidade hospitalar, com uma capacidade para internar 37 pacientes, conta com três médicos, sendo dois de nacionalidade cubana e um coreano, auxiliados por 49 enfermeiros de vários escalões e 17 técnicos médios.
Edy Cambuta pediu às famílias para prestarem maior atenção às doenças que assolam as crianças na época chuvosa, que iniciou oficialmente na segunda-feira.
A responsável da unidade sanitária destacou a gripe, pneumonia, bronquite e a conjuntivite como as principais doenças que afectam sobretudo os menores dos zero aos cinco anos, por ser o grupo mais vulnerável.
Ao referir-se às carências existentes no centro, em termos de equipamento, considerou fundamental a instalação de unidades de ecografia, a construção de um jango e de um tanque de água por sistema de gravidade.
Quanto aos recursos humanos, a chefe da unidade sanitária do Andulo salientou a necessidade de mais oito médicos e 18 enfermeiros, para garantir o melhor funcionamento da instituição.

Tempo

Multimédia