Províncias

Automedicação preocupa especialistas

Carlos Bastos e Víctor Pedro | Sumbe

A automedicação na população do Cuanza Sul está a preocupar os responsáveis da Escola de Formação de Técnicos de Saúde da província, disse ontem no Sumbe o director da instituição.

Jornadas técnico-científicas abordaram na província do Cuanza Sul entre vários temas a questão do perfil do técnico de Saúde
Fotografia: João Gomes

Crisóstomo Firmino disse que auto-medicação tem merecido uma atenção especial, tendo em conta os malefícios que acarreta para a saúde.
Este e outros temas são discutidos durante dois dias nas primeiras jornadas técnico-científicas da Escola de Formação de Técnicos de Saúde do Cuanza Sul, que termina hoje, sob o lema “Para garantir melhor qualidade de saúde, formemos homens de ciência”.
Além da auto-medicação, os professores e estudantes da instituição abordam ainda a questão da importância dos soros hemo-classificados no transplante de órgãos, o perfil do técnico de saúde na sociedade e a prevalência da anemia falciforme na província.
Os participantes analisam igualmente as estratégias de intervenção de enfermagem em doentes com acidente vascular cerebral (AVC) e a influência das línguas na comunicação entre o paciente e o profissional de saúde.
O director da escola disse que as jornadas científicas estão a ser aproveitadas para promover e divulgar a produção técnico-científica da comunidade académica, através do aprofundamento de estudos e pesquisas, favorecendo a socialização do conhecimento, respeitando os aspectos culturais e éticos.
Crisóstomo Firmino sublinhou que as jornadas têm ainda como finalidade estimular a participação activa da comunidade académica em projectos interdisciplinares de pesquisa científica, desenvolvendo o pensamento criativo.
Pretende ainda apoiar, por meio de parcerias com instituições do ensino superior, a participação activa dos docentes e discentes na divulgação de trabalhos científicos.

Novos métodos 


Os professores do Cuanza Sul foram  aconselhados ontem, no Sumbe, a utilizarem novas metodologias que ajudam a tornar o conhecimento científico mais perceptível no  processo de ensino e aprendizagem dos alunos. A exortação foi feita pelo director provincial da Educação, Ciência e Tecnologia do Cuanza Sul, Francisco António de Figueiredo Júnior, em alusão ao Dia Internacional do Professor, assinalado no dia cinco deste mês.
Francisco António de Figueiredo Júnior pediu aos professores para transmitirem  os conhecimentos de forma clara pois não são detentores absolutos do conhecimento, mas  devem saber transmitir, através da investigação ou pesquisas, criando um intercâmbio saudável. “O professor deve procurar estimular e garantir  confiança no seio dos alunos para   criar  espírito de investigação.” O director provincial da Educação, Ciência e Tecnologia  sublinhou que o Dia Internacional do Professor deve servir de reflexão para todos àqueles que estão envolvidos no processo de ensino e aprendizagem. “O processo de ensino deve ser acompanhado   por recursos humanos competentes, qualificados e comprometidos com a formação da futura geração.”
Francisco António de Figueiredo Júnior encorajou os professores a  empenharem-se na busca da qualidade para a elevação do ensino. “Exorto os pais  a  terem um contacto permanente com as direcções das escolas para se informarem do estado académico dos seus filhos.”

Tempo

Multimédia