Províncias

Autoridades exigem respeito pela preservação do ambiente

João Salvo| Saurimo

O administrador municipal de Saurimo apelou, ontem, naquela cidade, à necessidade dos munícipes acatarem as normas de conduta urbana para contribuírem na preservação da higiene, estética e meio ambiente.

Empresas que prestam serviço de embelezamento da cidade conhece alguns constrangimentos
Fotografia: JA

O administrador municipal de Saurimo apelou, ontem, naquela cidade, à necessidade dos munícipes acatarem as normas de conduta urbana para contribuírem na preservação da higiene, estética e meio ambiente.
Gregório Miasso disse que o trabalho gizado por dez empresas, que prestam serviços nos domínios da conservação e embelezamento da cidade, conhece alguns constrangimentos, devido ao abate ilegal de árvores, desrespeito pelos espaços relvados, subtracção de plantas e deposição de lixo em locais impróprios.
Os esforços para a sensibilização dos munícipes para a preservação do meio ambiente, estética e meio ambiente começaram no início do ano, com a colocação de tabuletas e autocolantes com mensagens de advertência e conselhos.
O chefe de brigada do Instituto de Desenvolvimento Florestal (DF) da Lunda-Sul disse que, graças a esta campanha, já se verificam algumas mudanças no comportamento da população em relação à necessidade preservar as árvores, tendo em vista a sua importância no combate às ravinas na cidade e nos bairros circundantes.
Afonso Maquecha manifestou-se preocupado com "o abate indiscriminado de árvores para a exploração desenfreada de carvão destinado à venda em zonas mais distantes" e com outras práticas nocivas nas várias fases que antecedem a instalação de lavras.

Tempo

Multimédia