Províncias

Autoridades incentivam agricultura de irrigação

Manuel Tomás| Sumbe

O director provincial da Agricultura e do Desenvolvimento Rural do Cuanza Sul, Isaías Nawela, apelou aos agricultores da área da Zâmbia, município da Conda, para que apostem fortemente na prática da lavoura de irrigação.

Camponeses têm recebido vários apoios para poderem aumentar a produção no âmbito do programa do Executivo de combate à pobreza
Fotografia: Francisco Bernardo

Isaías Nawela salientou que a prática da agricultura de irrigação é favorável na Zâmbia, em função dos grandes recursos hídricos de que a região dispõe.
O director provincial da Agricultura falava no termo de uma visita que efectuou a áreas agrícolas da Zâmbia, acompanhado pelos administradores dos municípios do Amboim, Francisco Mateus, e da Conda, Fernando Barbosa, além de técnicos ligados aos distintos departamentos. O responsável do sector anunciou a construção, para breve, de um sistema de captação e irrigação, com vista a abastecer a localidade das 27 e, numa segunda fase, atingir o Porto Amboim.
Isaías Nawela, que não precisou os valores da construção do sistema, disse que foi recomendada a elaboração de uma ficha de projectos, por meio de um diagnóstico sustentável, com a participação de agricultores e demais intervenientes, para posterior aprovação.
 O director explicou que, durante a recente reunião realizada no Lubango,  na qual foi analisada a situação da estiagem  no país, o ministro do Planeamento tinha anunciado a existência de uma verba para a realização de um estudo das bacias hidrográficas do Longa e Queve (Cuanza Sul).
“Não faz sentido ver enormes quantidades de água por estas bandas e haver estiagem”, disse o director, tendo acrescentado: “Temos de aproveitar os recursos hídricos, para se praticar uma agricultura de irrigação, contribuindo para o combate à fome e à pobreza”.

Zâmbia é pólo industrial

A localidade da Zâmbia vai, nos próximos tempos, ser transformada num pólo agro-industrial, prevendo-se a construção naquela parcela do Cuanza Sul de cerca de 17 unidades fabris, dotadas de tecnologia de ponta.
O pólo vai dispor, entre outras, de uma fábrica de concentrado de fruta, bem como um entreposto para armazenar, conservar e concentrar a matéria-prima da fruta. Vai ter ainda uma área de armazenamento de produtos acabados e outros serviços, que vão ocupar uma área de 12.000 metros quadrados.
Primeiro na região da província do Cuanza Sul, o novo pólo industrial é uma iniciativa do programa sócio-agro-industrial denominado “Prosai”, que além do investimento externo conta com o apoio do Executivo e vai criar mais de 500  postos de trabalho, sobretudo, para jovens e desmobilizados.

Tempo

Multimédia