Províncias

Autoridades preocupadas com devastação de florestas

O administrador da comuna do Tchiumbo, na província do Huambo, manifestou-se ontem ao Jornal de Angola preocupado com a devastação de florestas na região de Sanguengue.

O administrador da comuna do Tchiumbo, na província do Huambo, manifestou-se ontem ao Jornal de Angola preocupado com a devastação de florestas na região de Sanguengue.
José Manuel Tchissalukila disse que as florestas de Sanguengue têm sido alvo de exploração ilegal de madeira. O perímetro de Sanguengue ocupa uma extensão de 18.000 quilómetros quadrados, por isso, o responsável considera ser muito difícil controlar a exploração de madeira na região.
“Muitos cidadãos entram no perímetro florestal, não se registam na administração da comuna, passam directamente para a floresta e começam a explorar madeira, incumprindo a lei e as exigências do IDF”, disse.
O responsável lembrou que a espécie mais devastada é o pinheiro que corre o risco de extinção.
A administração tem apenas registadas 12 empresas, autorizadas a explorar madeira para fins comerciais. Os principais clientes são empreiteiros de construção civil e marceneiros.
O derrube anárquico de árvores está a afectar o meio ambiente e contribui para o desaparecimento de muitas espécies de animais, disse o admnistrador.

Missão da Babaera

A escola missionária católica das irmãs Teresianas, localizada na localidade da Babaera, reabre as suas portas em breve. Com capacidade para acolher mais de 500 alunos, as obras encontram-se em estado avançado.
Preocupado com a degradação da escola, o governo do Huambo concedeu apoio para que a antiga missão volte a ressurgir, albergando crianças em regime de internato.

Tempo

Multimédia