Províncias

Autoridades sanitárias notificam novos casos

Casimiro José | Wako-Kungo *

As autoridades sanitárias do Wako-Kungo realizaram, desde Outubro, 340 testes de Sida, tendo resultado seis casos positivos.

As autoridades sanitárias do Wako-Kungo realizaram, desde Outubro, 340 testes de Sida, tendo resultado seis casos positivos.
Um documento distribuído no final de uma marcha realizada sábado, no Wako-Kungo, refere que nos testes, 254 foram de mulheres gestantes, com um caso positivo.
Mulheres não gestantes também realizaram testes, num total de 15, com quatro casos positivos, e 71 homens, com um caso positivo.
A marcha, cujo ponto de partida foi a sede da Administração Municipal da Cela, contou com a participação de militantes da Organização da Mulher Angolana (OMA), da JMPLA, autoridades tradicionais e população em geral.
 A OMA realizou também, no âmbito do Dia Internacional da Sida, assinalado sábado, uma operação STOP, para consciencializar automobilistas e transeuntes sobre os cuidados a ter para conter a disseminação da pandemia na sociedade.

Campanha de prevenção lançada na cidade do Lobito

A repartição municipal de Saúde no Lobito lançou sábado último, na ponte Kukula (Caponte), o dístico que simboliza o compromisso daquele sector, junto da sociedade local, na campanha de prevenção contra o VIH/Sida, visando criar sinergias para a redução dos índices da enfermidade.
O chefe da referida repartição, Zeferino Joaquim, que falava por ocasião do Dia Mundial do VIH/Sida, disse que os cidadãos devem mudar de conduta em relação a essa doença, conhecer o seu estado serológico e cumprir as três premissas fundamentais, fidelidade, abstinência e uso da camisinha.
 “Notamos que as pessoas fazem o teste, constatam que o resultado é negativo e continuam a levar uma vida promíscua. Não deve ser esse o caminho a seguir”, salientou.

Dados estatísticos

O responsável preferiu não revelar os dados estatísticos sobre o estado serológico dos habitantes do município e referiu que, por uma questão de estratégia, os mesmos não podiam ser divulgados, para evitar que as pessoas deixem de marcar presença nos Centros de Aconselhamento e Testagem Voluntária (CATV).
Instituições especializadas na matéria, que trabalham com grupos alvos de transmissão, afirmam que na província de Benguela, particularmente na cidade do Lobito, a cifra tende a aumentar, devido ao elevado índice de prostituição que se regista na cidade.
O desemprego é uma das causas apontadas como factor fundamental para que muitas mulheres de tenra idade, jovens e adultas caiam na prostituição, segundo o chefe da repartição municipal da Saúde.
O acto de lançamento da campanha foi testemunhado pelo administrador adjunto do Lobito, Manuel António Chimbili, que se solidarizou com o evento, uma vez que a doença, até ao momento sem cura, continua a afectar milhões de pessoas, com maior incidência no continente africano.

* Com Jesus Silva |Lobito

Tempo

Multimédia