Províncias

Baixam mortes de parturientes

André Amaro| Lubango

Um total de 21 parteiras que trabalham nas unidades sanitárias das províncias da Huíla e Namibe concluíram o terceiro curso de especialização para melhorar a humanização dos serviços de saúde reprodutiva e reduzir a mortalidade materno-infantil.

A formação confere aos beneficiários conhecimentos teóricos e habilidades práticas para desenvolverem o trabalho nas áreas de assistência e gestão dos serviços materno-infantis
Fotografia: JA

Um total de 21 parteiras que trabalham nas unidades sanitárias das províncias da Huíla e Namibe concluíram o terceiro curso de especialização para melhorar a humanização dos serviços de saúde reprodutiva e reduzir a mortalidade materno-infantil.
Com a duração de 18 meses, o curso promovido pela Direcção da Saúde em parceria com o Ministério da Família e Promoção da Mulher, transmitiu conhecimentos sobre a competência na maternidade para a área de adolescentes, consultas pré-natais, partos, planeamento familiar, prevenção e deteçção dos cancros do colo e da mama. 
As doenças sexualmente transmissíveis, funções relativas à assistência, gestão do ensino e investigação, integração teórica e prática, avaliação dos métodos de ensino nas diferentes áreas do conhecimento médico e a deontologia profissional foram outras disciplinas ministradas.
O coordenador do curso de especialização das parteiras, Guedes Candundo, disse que a formação confere aos beneficiários conhecimentos teóricos e habilidades práticas para desenvolverem o trabalho nas áreas de assistência, gestão dos serviços materno-infantis e investigação científica.
As parteiras, disse, vão trabalhar dentro da estratégia traçada pelo Ministério da Saúde de Angola, “pretendendo com isso reduzir a mortalidade materno-infantil, privilegiando o amplo acesso aos serviços de planeamento familiar, prevenção, diagnóstico das infecções de transmissão sexual, incluindo o VIH/Sida, prevenção e detecção dos cancros do colo e da mama e outras patologias”. As parteiras receberam diplomas pelo vice-governador da Huíla para a Área Social, José Arão, que afirmou que o programa de especialização se enquadra nas acções de redução da mortalidade materno-infantil com partos seguros.
“O profissional formado nesta especialidade irá participar na humanização da saúde reprodutiva com a realização de partos mais saudáveis”, sublinhou, frisando que as parturientes terão, assim, acompanhamento especializado.

Tempo

Multimédia