Províncias

Barra do Dande a caminho do desenvolvimento

Pedro Bica| Barra do Dande

A comuna da Barra do Dande, na província do Bengo, após a reabilitação e inauguração da ponte sobre o rio Dande, destruída durante o conflito armado, aos poucos marca passos rumo ao desenvolvimento.

Construção de casas vai promover a fixação de quadros na comuna piscatória
Fotografia: Edmundo Eucílio

A comuna da Barra do Dande, na província do Bengo, após a reabilitação e inauguração da ponte sobre o rio Dande, destruída durante o conflito armado, aos poucos marca passos rumo ao desenvolvimento.
O administrador comunal       adjunto, Augusto Calo, disse, ao Jornal de Angola, que a ligação por estrada trouxe grande movimentação e oportunidades de    negócio entre a comuna e outras     localidades.
Actualmente várias pessoas fazem o percurso de Luanda à Barra do Dande em direcção ao município do Ambriz e à província do Zaire para venderem bens essenciais básicos.

Educação está bem

A circunscrição, afirmou Augusto Calo, não tem problemas relacionados com a educação e ensino, que se estende à décima classe.
A administração, referiu, perspectiva a instalação do ensino médio na comuna já no próximo ano lectivo, como forma de evitar a fuga de quadros locais sobretudo jovens.
Grande parte dos professores que dão aulas na comuna da Barra do Dande reside em Luanda, o que, adiantou, tem provocado algumas ausências devido aos custos de deslocação.
A localidade, com 12 quilómetros quadrados, tem 23 escolas, que correspondem a 70 salas de aulas frequentadas por alunos do primeiro ao terceiro ciclo.

Saúde no bom caminho

Relativamente ao sector sanitário, Augusto Calo lembrou que está em construção um hospital de referência, com capacidade para internar 70 pacientes.
O estabelecimento, afiançou, vai ser uma unidade moderna, com serviços de pediatria, odontologia, estomatologia, cirurgia, ortopedia, ginecologia e de partos.
O hospital terá, também, dois blocos operatórios devidamente equipados, banco de urgência, farmácia, sala de raios-X, refeitório, morgue e uma lavandaria.

Falta de energia eléctrica

A energia eléctrica constitui para a comunidade da zona piscatória da Barra do Dande, uma das grandes preocupações devido à sua localização geográfica.
A extensão do Porto de Luanda até a vila, referiu, vai proporcionar um melhor fornecimento da energia eléctrica e atrair mais investimento do sector privado.
Relativamente ao fornecimento da água potável, foi, recentemente, inaugurado o centro de tratamento e distribuição, que ainda funciona com um grupo gerador, o que limita a distribuição domiciliar.
Apenas os bairros que circundam a sede comunal consomem água potável. Os restantes aguardam pelo aumento da capacidade de corrente eléctrica na região. Porque só com energia eléctrica é possível melhorar a rede de distribuição e aumentar a captação.
Augusto Calo revelou que projectos sobre o fornecimento de energia eléctrica existem a nível do governo provincial e em breve vão ser concretizados.
O programa gizado para o fornecimento de energia eléctrica vaidesenvolver  a região.

Pesca de subsistência

Apesar de possuir condições para o exercício da pesca, os pequenos pescadores da Barra do Dande praticam-na de forma sustentável, sem grande impacto na vida das populações. Grande parte do pescado é vendido a nível local, através de pessoas que se deslocam até à comuna ou aos munícipes do Cacuaco, na província de Luanda. O administrador  convidou os empresários a investir na localidade, por se tratar, ainda, sublinhou, de uma zona virgem e bastante rica em potencial turístico. A Barra do Dande faz parte do grande mosaico turístico da província do Bengo mas precisa de investimentos.

Tempo

Multimédia