Províncias

Bastonário dos Enfermeiros faz advertência aos falsários

Carlos Paulino | Menongue

Os cidadãos que exercem actividade de enfermagem e de farmacêutico de forma ilegal  têm os dias contados, advertiu, ontem, em Menongue, o bastonário da  Ordem dos Enfermeiros de Angola. 

 

Muitas pessoas exercem as funções de enfermeiros e farmacêuticos e nem fizeram sequer uma formação e isso mancha o nome da classe
Fotografia: Miqueias Machangongo

Num encontro com o vice-governador da província do Cuando Cubango para o sector Político e Social, Pedro Camelo, Paulo Luvualu disse   que no país  existem muitas pessoas a exercer as funções de enfermagem e de farmacêuticos que não fizeram sequer uma formação básica, que   mancham o bom nome da classe e    contribuem  para o aumento do índice de mortalidade no país.
Paulo Luvualu disse que é por esta razão que a ORDENFA vai passar um “pente fino” em todos os estabelecimentos hospitalares para combater os falsos profissionais.  
A ordem dos enfermeiros de Angola tem como principal objectivo disciplinar, fiscalizar e regular o exercício da enfermagem em prol da profissão e da classe, bem como defender a população, garantindo uma assistência médica e medicamentosa de qualidade reconhecidas.
No país, a Ordem dos Enfermeiros de Angola controla mais de seis mil enfermeiros que exercem a actividade com a respectiva carteira profissional, dos quais seis na província do Cuando Cubango.
Quanto ao número reduzido de enfermeiros credenciados pela Ordem dos Enfermeiros de Angola na província,  Paulo Luvualo disse que o facto deve-se ao atraso registado no envio da lista dos quadros formados até a presente data na província do Cuando Cuabango  pelas instituições de ensino para a confirmação. 
O bastonário da Ordem dos Enfermeiros lamentou o facto de existirem ainda na província enfermeiros que trabalham em excesso, prejudicando a sua saúde e o atendimento aos doentes.
Para inverter o quadro, o bastonário da Ordem dos Enfermeiros de Angola apelou à Direcção Provincial da Saúde a trabalhar com as instituições de ensino médio e superior que leccionam o curso de enfermagem para  os estudantes, a partir do terceiro ano,  estagiem nas unidade hospitalar.
O bastonário da Ordem dos Enfermeiros de Angola anunciou a realização, nos próximos dias,  de um concurso público especial para o ingresso de novos quadros no sector da Saúde, tendo em conta a escassez  de profissionais para dar resposta às epidemias que  assolam o país.
Durante a sua estada  de dois dias na província do Cuando Cubango, o bastonário da Ordem dos Enfermeiros de Angola visitou o hospital municipal, a pediatria, Escola Superior Politécnica de Menongue e a Escola de Formação Média de Técnicos de Saúde.
O vice-governador da província para o sector Político e Social, Pedro Camelo, garantiu total apoio  para banir  a prática de enfermagem ilegal na região,  para  a melhoria das condições de trabalho dos enfermeiros.

Tempo

Multimédia