Províncias

Aberto ciclo formativo no centro de Caxito

EDSON FONTES | CAXITO

Um total de 849 jovens da província do Bengo vai, este ano, ser formado em várias especialidades no Centro de Formação Profissional de Caxito, garantiu ontem ao Jornal de Angola o chefe do Instituto Nacional de Formação Profissional (Inefop). 

Vão ser ministrados na região vários cursos de artes e ofícios no âmbito do programa do Executivo de combate ao desemprego
Fotografia: MARIA JOÃO|BENGO|EDIÇÕES NOVEMBRO

Manuel Pedro António disse que muito destes formandos vão beneficiar do crédito “Amigo Sol” para incentivar o empreendedorismo. Acrescentou que dos ciclos passados  boa parte dos jovens beneficiaram deste apoio e hoje conseguiram montar o seu negócio em áreas bem localizadas.
O Inefop, através do emprego, tem acompanhado estes jovens, auxiliando-os com suporte técnico naquilo que necessitam em relação à gestão do seu negócio.
Manuel Pedro António disse que os centros profissionais têm tido uma boa adesão nos últimos tempos por parte da juventude interessados em ter uma formação. Com base nisso, referiu que há toda a necessidade de criar-se mecanismos de forma a alargar a capacidade instalada das unidades.
“Existe um projecto de instalação de mais uma unidade formativa no município do Pango Aluquém, por esta região não beneficiar destes serviços”, disse, considerando  fundamental a montagem de unidade móvel ou uma de carácter fixo.
O Centro de Formação Profissional de Caxito possui uma capacidade instalada de 270 formandos.
No ciclo passado, concluíram  367 formandos, 250 dos quais do sexo masculino e 117 femininos nas 17 especialidades.
O chefe do Inefop informou que foi concebido um projecto direccionado à agricultura, especificamente na especialidade de fruticultura e horticultura, que é uma unidade nova. Reconheceu que tal projecto surge para dar resposta aos camponeses que necessitam de um suporte técnico para a tecnologia e criar negócios na área da agricultura.
O jovem Moisés de Almeida fez o primeiro curso de informática no Centro de Formação Profissional de Caxito em 2014. Com a abertura deste ciclo, fez a matrícula para o curso de frio para aumentar o seu currículo profissional. O ciclo de formação 2017 no Centro de Formação Profissional de Caxito foi aberto oficialmente na segunda-feira.

Novas infra-estruturas

O administrador municipal do Dande, João da Silva Castelo Branco, disse, no acto de abertura, que a formação profissional constitui para o Executivo uma das bases para o desenvolvimento do país.
João da Silva Castelo Branco esclareceu que foram construídas na província do Bengo novas unidades formativas, como o Centro Integrado de Emprego e Formação Profissional do Ambriz, a Unidade do Sassa Cária, pró-trabalho do Panguila, o Centro Integrado dos Dembos e outras em construção.
Tal programa, referiu, possibilitou o aumento da oferta aos jovens e adultos que procuram pelo primeiro emprego e da superação dos formadores no sistema de formação profissional, na qualificação técnica, tecnológica e pedagógica. Admitiu que para se atingir o nível de excelência é necessário uma forte aposta no homem.
Outro desafio consiste na melhoria das condições dos centros de formação, no que se refere à instalação de novos laboratórios, para possibilitar que os formandos apliquem os seus conhecimentos teóricos e práticos. Reconheceu que só assim é que se pode obter uma qualificação compatível ao mercado de emprego, que está cada vez mais competitivo.

Contratos de trabalho

O administrador municipal do Dande pediu igualmente o reforço dos parceiros públicos, privados e empresários locais para a continuidade de contratos dual, convénios, estágios profissionais e outros.
“Neste momento, vivemos um intenso período de organização do sector económico, administrativo e industrial, que começa a despontar, com vista a corresponder eficazmente ao imperativo imediato da província”, disse.
Para ele, a importância desta cerimónia tem a ver com abertura e início de um conjunto de acções de formação estruturada para saídas profissionais no mercado do trabalho no município do Dande, assim como de toda a província, que vai permitir aos jovens o primeiro emprego.
Considerou importante o ciclo de formação para os jovens da província, uma vez que vai possibilitar que os empresários e investidores possam encontrar oportunidades de investimento, contando com técnicos qualificados.“Só com a mão-de-obra qualificada, podemos contar com uma estabilização socieconómica do país, contribuindo nos esforços do Governo na redução da pobreza e criação de rendimentos para as populações”.

Tempo

Multimédia