Províncias

Acidente de viação provoca dez mortos

André Brandão | Ndalatando

Pelo menos dez pessoas morreram e duas ficaram feridas, em consequência da colisão entre um autocarro e um Toyota Hiace, ocorrida às 7h30 de ontem, na estrada nacional 230, em Maria Teresa, Calomboloca (Bengo).

A foto documenta um outro acidente ocorrido no local que os automobilistas dizem ser muito perigoso
Fotografia: Jornal de Angola

 Pelo menos dez pessoas morreram e duas ficaram feridas em consequência de uma colisão entre um autocarro e um mini-autocarro Toyota Hiace, ocorrida às 7h30 de ontem, na estrada nacional 230, em Maria Teresa, Calomboloca (Bengo), revelou ao Jornal de Angola o porta-voz do Comando do Kwanza-Norte do Serviço Nacional de Bombeiros.
O subchefe Estêvão Castigo disse que as vítimas se encontravam no Toyota Hiace, proveniente de Ndalatando, que embateu contra o autocarro da transportadora SGO, ido de Luanda para Malanje, que se despistou.
O porta-voz do Comando do Kwanza-Norte do Serviço Nacional de Bombeiros diz que o acidente foi, presumivelmente, provocado por excesso de velocidade, “a julgar pela ultrapassagem que o mini-autocarro pretendia fazer a um camião, o que implicou a mudança para a faixa contrária”.
O ambiente de dor e luto, em Ndalatando, começou às zero horas de ontem, quando um jovem perdeu a vida num dos três acidentes, entre viaturas e motorizadas, durante a passeata para comemorar a vitória de Angola diante do Malawi. Os acidentes provocaram também ferimentos em cinco pessoas, uma das quais em estado crítico.

Balanço

No ano passado, a Polícia de Trânsito registou 660 acidentes de viação, que causaram a morte de 149 pessoas, o ferimento de 688, e danos materiais avaliados em 166 milhões e 505 mil kwanzas.
No período em referência registaram-se 287 choques, 142 atropelamentos, 136 despistes e 95 capotagens, devido ao excesso de velocidade, mau estado das vias, fraca iluminação e condução sob efeito do álcool.
O comando provincial do Kwanza-Norte da Polícia Nacional cadastrou, no ano transacto, 1.873 crimes diversos, sendo 1.095 contra pessoas, 460 de propriedade, 285 de ordem e tranquilidade pública e 33 delitos económicos.
O relatório da corporação, a que o Jornal de Angola teve acesso, dá conta que foram esclarecidos 1.833 crimes, correspondente a média mensal de 156 crimes, representando 98 por cento de operatividade. O município de Cazengo, ao contabilizar 94 casos, foi o mais afectado.
Durante o ano findo foram detidos 1.322 cidadãos, dos quais 39 do sexo feminino, com idades compreendidas entre os 19 e 40 anos.
Dos crimes ocorridos em 2009 destaque para 42 violações, oito crimes voluntários simples, um qualificado, quatro preterintencionais e dois involuntários (por asfixia).
Asfixia, espancamento e uso de arma branca (catana) foram as práticas mais comuns, geralmente causadas por desentendimentos, consumo exagerado de bebidas alcoólicas, ajuste de contas e questões passionais.
Em crimes de furtos, registaram-se 265, tendo 170 ocorrido no interior de residências, 28 em vias públicas, 21 em estabelecimentos comerciais, outros lugares 17, obras de construção 14, no interior de viaturas estacionadas e fábricas ou oficinas quatro cada, hotéis ou pensões, mercados e transportes públicos dois cada.
 Os furtos incidiram sobre electrodomésticos, tais como aparelhos de som, televisores, leitores audiovisuais, bem como valores monetários, motociclos, telemóveis, botijas de gás butano, utensílios de cozinha, acessórios de viatura, geradores, bebidas alcoólicas, material de construção, gado caprino e suíno. Durante o ano passado ocorreram 57 roubos, dos quais 32 no interior de residências e 25 em vias públicas. Foram efectuados 406 enfrentamentos, buscas dirigidas e 12 fustigamentos, que derivaram na detenção de 348 cidadãos por posse ilegal de liamba, cartões de recargas, tábuas, televisores, morteiros de 82 milímetros, munições de diversos calibres, motorizadas, viaturas, aparelhos de som e computadores.

Desarmamento

No âmbito do programa de desarmamento da população civil foram recolhidas 2.094 armas de diversos calibres, 965 carregadores e 8.138 munições diversas.  Concluíram ainda neste ano em actividade processual 1.874 processos, cujo grau de produtividade foi de 92 por cento, distribuídos em 1.089 processos remetidos a juízo, 529 dos quais com preso e 560 sem,  657 aguardam a produção de melhor provas e 128 arquivados.
Por várias infracções ao código de estrada, realizaram-se 164 operações STOP e outras de rotina, que tiveram a duração de 99.227 horas, resumidas em patrulhamentos motorizados e apeados, foram aplicadas 4.088 multas que correspondem a 13 milhões 29 mil e 88 kanzas. Durante o ano passado foram cobradas 1.256 multas, avaliadas em 2 milhões 320 mil e 558 kanzas, enquanto que 952 multas foram remetidas ao Tribunal para efeito de cobrança coerciva, cujo valor foi de dois milhões 172 mil e 739 kwanzas. Foram apreendidas 54 viaturas, 393 motociclos, 2.266 documentos diversos de veículos e mil e duas cartas de condução.

Tempo

Multimédia