Províncias

Administrador quer empresários para investir na comuna de Kicabo

Maiomona Artur| Kicabo

O administrador comunal de Kicabo, no município do Dande, província do Bengo, Adão António Pipas, convidou ontem os empresários angolanos a investirem na região, para contribuírem para o seu rápido desenvolvimento.

O administrador comunal de Kicabo, no município do Dande, província do Bengo, Adão António Pipas, convidou ontem os empresários angolanos a investirem na região, para contribuírem para o seu rápido desenvolvimento.
O responsável salientou que a comuna de Kicabo é potencialmente agrícola, aberta à actividade comercial, sobretudo no sector hoteleiro, turístico e na indústria extractiva.
Adão António Pipas salientou que a administração tem recebido muitas propostas de investimento de empresas de exploração de inertes, o que considera salutar, mas apelou para mais acções nos ramos da hotelaria e turismo, para que se possa atrair um número maior de turistas. A região, na sua perspectiva, carece de muita atenção, tendo em conta as grandes dificuldades que a população enfrenta, principalmente nos domínios da saúde e educação. Para alterar esta situação, a administração está a implementar um programa destinado a garantir a assistência médica e medicamentosa em todos os bairros da comuna.
O paludismo, as doenças diarreicas agudas e infecções urinárias são as enfermidades que mais afectam os habitantes de Kicabo.
O administrador comunal está ainda preocupado com o facto de muitas mulheres grávidas não frequentarem consultas pré-natais, o que causa algumas complicações durante o parto.
Quanto à energia, adiantou que Kicabo recebeu, em tempos, um grupo gerador de 250 KWA para garantir a melhoria da luz eléctrica à população da localidade, uma vez que a comuna tinha um gerador de apenas 100 KWA, sem capacidade para suportar a procura, registando muitos curto-circuitos.
O actual grupo gerador vai abranger a comuna sede e os bairros periféricos de Mulende, Kijipiri, Kinjinda e Tala Hadi, garantiu Adão António Pipas.
Quanto ao abastecimento de água, realçou que o sistema de captação, tratamento e distribuição se encontra em fase conclusiva.
 “Com o sistema em funcionamento, vamos aliviar, em grande medida, o sofrimento da população na obtenção deste bem”.
No âmbito do programa de combate à pobreza, a comuna está a beneficiar da construção de residências e o sistema de rede escolar está a merecer uma maior atenção, em termos de infra-estruturas. A estrada está em óptimas  condições.

Tempo

Multimédia