Províncias

Ambriz necessita de mais professores

Pedro Bica | Ambriz

O município do Ambriz, a 124 quilómetros da vila de Caxito, no Bengo, precisa de mais 40 professores, 24 salas de aula, pessoal administrativo, meios informáticos, laboratórios e de material didáctico, para melhorar o processo de ensino e aprendizagem, segundo o director municipal da Educação, Simão Lelo.

Objectivo é melhorar o processo de ensino
Fotografia: Daniel Benjamin | Edições Novembro

“No presente ano lectivo estão matriculados oito mil e setecentos e vinte e cinco alunos, da iniciação ao terceiro nível, distribuídos em 22 escolas, ficando fora do sistema de ensino 1.705 crianças”, acrescentou Simão Lelo, referindo que “os inspectores não conseguem fazer o trabalho nas restantes comunas, por falta de meios de transporte”.

Outra preocupação, segundo Simão Lelo, é a falta de merenda escolar, devido a insuficiência de dinheiro para a aquisição dos produtos.
Na região foi reinaugurada a escola primária número 101, Ngola Mbandi, com dez salas de aula, um jango e um pavilhão multiusos. Durante o acto, a governadora provincial do Bengo, Mara Quiosa, agradeceu à empresa Total, que ajudou a reabilitar e apetrechar a escola.
“No âmbito da responsabilidade social que as empresas têm para com as comunidades onde estão inseridas, aproveitar este gesto de amor ao próximo e solidariedade da empresa Total, para incentivar as outras a seguirem o exemplo”.
A escola reabilitada, ampliada e apetrechada vai beneficiar mais de mil e trezentos alunos, da sede municipal do Ambriz.
Durante a sua estada na vila piscatória do Ambriz, a governadora da província do Bengo, Mara Quiosa, acompanhada de membros do Governo local, inaugurou, também, chafarizes nos bairros Valódia e Musseque.

Tempo

Multimédia