Províncias

Angola regista anualmente dez mil mortes por malária

Alfredo Ferreira | Caxito

O director do Programa Nacional de Controlo da Malária, Nilton Saraiva, revelou, quarta-feira, na cidade de Caxito, província do Bengo, que o programa nacional de combate a esta efermidade registou, em todo o país, cerca de dois milhões e 500 casos por ano.

A Malária é a maior causa de morte
Fotografia: Eduardo Eucílio

O director do Programa Nacional de Controlo da Malária, Nilton Saraiva, revelou, quarta-feira, na cidade de Caxito, província do Bengo, que o programa nacional de combate a esta efermidade registou, em todo o país, cerca de dois milhões e 500 casos por ano.
De acordo com a fonte, deste número de casos há a registar anualmente entre sete a dez mil óbitos, sendo as vítimas principais crianças entre dos zero aos cinco anos de idade.
O director do Programa Nacional de Controlo da Malária, que apresentou estes dados à imprensa durante a abertura de um curso básico de entomologia, garantiu que está a ser traçada uma estratégia para combater e reduzir o número de casos de malária em Angola.
Nilton Saraiva disse que para este ano está prevista a realização de um inquérito para avaliar os indicadores de impacto, que vão influenciar nas metas para a redução para metade do número de casos clínicos e de óbitos.
O Programa Nacional de Controlo da Malária, para além destas formações, tem Estado a garantir superação aos técnicos da saúde e fornecido medicamentos e mosquiteiros, numa acção conjunta com patrocinadores ligados ao Ministério da Saúde.

Tempo

Multimédia