Províncias

Barra do Dande necessita de mais agências bancárias

Edson Fontes | Caxito

A comuna da Barra do Dande, na província do Bengo, está a atravessar enormes dificuldades devido à falta de agências bancárias, o que está a preocupar os funcionários públicos, empresários e pescadores daquela região.

A comuna da Barra do Dande, na província do Bengo, está a atravessar enormes dificuldades devido à falta de agências bancárias, o que está a preocupar os funcionários públicos, empresários e pescadores daquela região.
Por isso, pedem a quem de direito que seja estendida a rede bancária, para facilitar as transacções monetárias.
As pessoas que clamam por dependências bancárias na região solicitam a existência de créditos e a possibilidade de realizarem transferências bancárias para o interior e exterior do país através dos bancos.
Segundo o professor Jorge Carlos, que trabalha na comuna da Barra do Dande há mais de seis anos, há grandes dificuldades para receber os ordenados. Para tal, o docente desloca-se constantemente a Caxito ou a Luanda, para levantar os seus ordenados.
Costa Mabaia, pescador associado, disse que o sector das pescas, para melhor se desenvolver, necessita de financiamento e os bancos respondem a tais exigências.
Além disso, sempre que a associação dos pescadores solicita créditos nos bancos de Caxito, e não só, as suas pretensões são inviabilizados, porque muitas vezes exigem deles inúmeros documentos e testemunhas.
O presidente da Associação de Pescadores e Agricultores da Barra do Dande (APESGRID), Pascoal dos Santos, afirmou que a comuna está a desenvolver-se paulatinamente e muitos empresários pretendem investir no sector. Por isso, os bancos, além de ajudarem na vida dos trabalhadores, também contribuem para o fomento da região a todos os níveis.

Tempo

Multimédia