Províncias

Bengo entra na campanha contra a gravidez precoce

Alfredo Ferreira | Caxito

A província do Bengo junta-se à campanha promovida pelo Ministério da Acção Social Família e Promoção da Mulher, desde Julho passado, contra a gravidez e casamentos precoces e o consumo excessivo de álcool, que têm comprometido o futuro de muitos jovens.

Dados da Família e Promoção da Mulher dão conta que aumentam os casos de gravidez precoce
Fotografia: Arão Martins| Edições Novembro

A campanha visa também o resgate de valores morais e cívicos, para que se tenha uma sociedade sã.
No acto de abertura da campanha na província do Bengo, decorrido em Caxito, o director interino do Gabinete Provincial da Saúde, Gonçalo Francisco, fez saber que a mesma visa recuperar os valores que aos poucos vão se perdendo, incutindo no seio das famílias noções morais e de convivência social, alicerçadas na identidade cultural dos angolanos.
Sublinhou que,  desde primórdios da humanidade,  é na família onde se estabelece o plano de educação, baseada na experiência do lar, na vivência dos idosos e na transmissão dos valores essenciais para uma vida saudável.
Gonçalo Francisco referiu, igualmente, que a dinâmica das sociedades, aliada aos avanços tecnológicos, trouxe consigo modernização no intercâmbio de culturas, muitas vezes mal interpretadas por jovens, pautando por aspectos negativos.
O sociólogo Luciano Segunda, que dissertou  sobre o tema “consumo excessivo de bebidas alcoólicas, causas e consequências”, referiu que o álcool traz perturbações, desequilíbrios, desnível na família e instabilidade na sociedade angolana. Apelou aos jovens e às instituições no sentido de haver maior diálogo, com o objectivo de se evitar o consumo excessivo de álcool, bem como a gravidez e os casamentos precoces.
Para Guilhermina Guilherme, parteira do Hospital Geral do Bengo, que abordou o tema “gravidez precoce, causas e consequências”, na província do Bengo os números são preocupantes, existindo muitas parturientes com idade compreendida entre 12 e os 18 anos”.
Explicou que as causas da gravidez precoce são a banalização do sexo, falta de perspectivas dos jovens, bem  como o baixo nível socioeconómico das famílias e a falta de diálogo entre pais e filhos. A gravidez precoce, acrescentou, tem consequências físicas (feto com má formação congénita, hemorragia pós-parto), psicológicas (depressão pós-parto que é uma situação preocupante, sendo uma doença silenciosa) e sociais (interrupção dos estudos, discriminação).
Guilhermina Guilherme apelou aos adolescentes no sentido de terem perspectiva de vida. “Não devem ter pressa, aproveitem o tempo para se formarem, para quando chegar a altura certa poderem assumir a maternidade e a paternidade com responsabilidade”.
Aos pais e encarregados de educação, Guilhermina Guilherme aconselhou-os no sentido de terem mais atenção com os filhos.

Acção formativa
A consciência e a postura de bem servir, com eficiência, constituem uma referência obrigatória nas actividades de qualquer funcionário público nas suas relações com o cidadão, considerou, em Caxito, o vice-governador para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas.
Domingos Guilherme teceu estas considerações na sessão de abertura de um ciclo formativo para técnicos dos órgãos de inspecção, fiscalização e controlo da administração local do Estado, tendo explicado que a transparência das instituições públicas, por meio do acesso às informações, torna mais democrática e estreita as relações entre o Estado e a sociedade civil.
O vice-governador disse ainda que a qualidade dos serviços depende decisivamente do aumento constante da capacidade técnica e profissional dos agentes e funcionários públicos.
Sublinhou que o papel da inspecção e da fiscalização não é descobrir apenas as irregularidades ou erros e criar dificuldades, mas sim ajudar e fomentar a prática da boa governação, criando oportunidades de diálogo e avaliação das actividades de todos os sectores envolvidos.
Estabelecer a cooperação institucional com outras inspecções sectoriais, melhorar a qualidade dos serviços públicos, com elevados índices de eficiência, e avaliar o estado actual dos órgãos inspectivos da província são objectivos específicos da formação, segundo o vice-governador para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas.

Tempo

Multimédia