Províncias

Bengo reforça acções de formação dos jovens

Alfredo Ferreira | Bengo

O director provincial da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, Miguel da Silva, disse ontem, ao Jornal de Angola, que este ano foram formados pela instituição, no Bengo, 620 técnicos básicos, nas especialidades de canalização, electricidade, alvenaria, frio industrial, mecânica, corte e costura, pastelaria, culinária e decoração.

Curso de Informática é dos mais procurados pelos jovens nos Centros de Formação Técnico-profissionais da província do Bengo
Fotografia: Eduardo Pedro

Durante a referida formação, que decorreu em seis centros públicos dos municípios do Ambriz, Dande, Nambuangongo, Dembos e Bula Atumba, foram também ministrados cursos de serralharia e informática.
O director provincial da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, que falava no município do Ambriz, disse no acto de encerramento de mais um ano de formação, que o objectivo é inserir mais jovens no mercado de trabalho, a fim de participarem no desenvolvimento económico e social da província.
Miguel da Silva salientou que, além desta acção formativa, foram ministrados cursos transversais, no âmbito do programa “Avanço e Empreendedorismo na Comunidade”, que permitiram formar 358 novos empreendedores barbeiros, cabeleireiros e gestão de pequenos negócios na comunidade. Durante este ano, acrescentou, o Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social recebeu 402 ofertas de postos de trabalho, sendo 385 para homens.
Apelou às entidades empregadoras da província, para contactarem com mais frequência os centros de formação profissional, para obterem informações referentes aos perfis de formação, aos centros de emprego para receberem igualmente informações sobre as ofertas ou candidatos inscritos e disponíveis para o mercado de emprego.

Primeiro emprego

O administrador municipal adjunto do Ambriz para a área social, Amizalaique Jacob Francisco,  disse que esta formação facilita a inserção dos novos profissionais no mercado de trabalho e ajuda no sustento das suas famílias e no desenvolvimento do país. As autoridades locais esperam que os resultados alcançados sejam os melhores, já que os recém-formados podem  aplicar, na prática, tudo aquilo que aprenderam.
“Os jovens ao terminarem a formação  têm a facilidade de  encontrar o primeiro emprego e de criarem pequenas empresas de prestação de serviços”, sublinhou Amizalaique Jacob Francisco. Apelou aos jovens para frequentarem os cursos profissionais existentes nos centros de formação profissional do Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social , com vista a desenvolverem as suas actividades com independência e servir de auto-sustento para as suas famílias.

Postos de trabalho

Os finalistas que receberam os certificados solicitaram aos órgãos competentes no sentido de facilitarem a sua inserção no mercado de trabalho, de modo a aplicarem o que aprenderam durante nove meses de formação, nos centros do Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social.
Moisés Domingos, um dos formandos que frequentou o curso de canalização no centro municipal do Ambriz, disse, em nome de todos formandos, que “queremos contribuir com aquilo que aprendemos na formação, para o crescimento da nossa província e para isto necessitamos de emprego sobretudo no ramo da construção civil”.
A província do Bengo conta com uma população de 376 mil habitantes, distribuídos em seis municípios: Dande, Nambuangongo, Dembos, Pango Aluquém e Ambriz.

Tempo

Multimédia