Províncias

Centenas de deficientes recebem apoios

Edson Fontes |Caxito

A província do Bengo tem registadas 300 pessoas portadoras de deficiências, das quais 94 estão inscritas na Associação Angolana dos Deficientes e Ex-militares (AMIGA), que celebrou mais um aniversário da sua fundação, no passado dia 2 de Setembro.

Ex-militares deficientes no Bengo têm recebido apoio na área da agricultura
Fotografia: Pedro Miguel

A província do Bengo tem registadas 300 pessoas portadoras de deficiências, das quais 94 estão inscritas na Associação Angolana dos Deficientes e Ex-militares (AMIGA), que celebrou mais um aniversário da sua fundação, no passado dia 2 de Setembro.
Das várias actividades já realizadas pela direcção provincial da AMIGA destaca-se a implementação de dois projectos agrícolas, localizados no perímetro irrigado do Caxito, de acordo com um responsável daquela associação, Domingos Paim.
Além das iniciativas de âmbito agrícola, foram também desenvolvidos projectos na área de serralharia, com o apoio da ONG COGE, abrangendo seis sócios.
Domingos Paim revelou ao Jornal de Angola que, “neste momento, existe um trabalho que está a ser feito no domínio da reabilitação física dos deficientes inscritos e a preparação para a construção de uma sede própria no Bengo”. Adiantou ainda que a instituição já encaminhou para o Centro de Reabilitação Física, na cidade de Luanda, cerca de 60 deficientes para tratamento especializado.
A AMIGA no Bengo está à procura de parceiros para a construção da sede provincial e uma casa de trânsito para acolher, principalmente, os sócios vindo dos outros municípios.  “O primeiro parceiro da nossa Associação, aqui, é a administração municipal do Dande. Temos também o apoio das direcções dos Antigos Combatentes, do MINARS e projectos conjuntos com o IRSEM virados para as áreas agrícola e na feitura de blocos”, frisou.

Tempo

Multimédia