Províncias

Centro sócio-pastoral para a diocese de Caxito

Alfredo Ferreira | Caxito

A diocese de Caxito, província do Bengo, vai ganhar, nos próximos tempos, um centro sócio-pastoral com tecnologia moderna. As obras de construção da referida instituição arrancam em Julho deste ano, anunciou o bispo local, D. António Jaca.

Bispo do Bengo Dom António Jaka
Fotografia: Edmundo Eucílio

A diocese de Caxito, província do Bengo, vai ganhar, nos próximos tempos, um centro sócio-pastoral com tecnologia moderna. As obras de construção da referida instituição arrancam em Julho deste ano, anunciou o bispo local, D. António Jaca.
O prelado católico disse que a instituição vai comportar dois andares e vai ter duas finalidades. A primeira estará relacionada com a actividade pastoral de evangelização, enquanto a outra terá a ver com as acções de carácter social nas áreas da saúde, educação e promoção humana.
O bispo Jaca salientou que as obras de construção do centro sócio-pastoral da diocese de Caxito vão decorrer durante cinco meses e estão avaliadas em um milhão de dólares.
D. António Jaca revelou ainda que, com esta instituição, a Igreja vai colocar à disposição da população serviços que vão permitir acolher os fiéis e visitantes que procuram a devoção religiosa e cultural na região.
De realçar que depois de concluído, o edifício contará com três salas polivalentes de conferências, com capacidades para 175, 25 e 15 pessoas, respectivamente, além de uma biblioteca e duas secretarias.
O projecto contempla ainda quatro gabinetes, três casas de banho, dois secretariados para o bispado, dormitórios, suites, um pavilhão gimnodesportivo multiuso, uma tesouraria, economato e chancelaria.
Aquele responsável religioso realçou que as salas de conferências vão estar disponíveis para qualquer entidade pública ou privada que as pretender utilizar. O mesmo vai acontecer com a biblioteca, que vai facilitar os estudantes, em termos de pesquisas.
O bispo António Jaca considerou que o edifício vai igualmente dignificar a vila de Caxito, dando maiores oportunidades aos citadinos e visitantes que diariamente acorrem à localidade.
Cerca de 30 por cento do orçamento do empreendimento vai ser custeado pelo governo da província do Bengo, segundo decisão tomada na 5ª sessão ordinária do executivo de João Bernardo de Miranda.
No encontro presidido pelo governador foi recomendada ainda à direcção do Urbanismo e Habitação para monitorar a elaboração do projecto de reabilitação e ampliação do actual templo da Igreja Metodista Unida do Bengo.

Tempo

Multimédia