Províncias

Combate à fome e pobreza foi analisado na província

Edson Fontes | Caxito

A unidade técnica de combate à pobreza da província do Bengo analisou, em Caxito, a aplicação do seu programa durante o primeiro semestre do ano em curso e a situação da merenda escolar.

Entre as acções em curso destaque para o apoio aos camponeses para aumentarem a produção
Fotografia: Edmundo Eucílio | Caxito

Durante o acto, o governador João Miranda disse que as acções importantes que não foram efectuadas no primeiro semestre, como a aquisição de medicamentos, devem ser melhoradas.
Por sua vez, António Quino, porta-voz da Unidade Técnica Provincial de Combate à Pobreza no Bengo, disse que, independentemente das contrariedades que caracterizaram o primeiro semestre, foi possível realizar o que foi planificado.
“Sabe-se que a nossa província é vasta e as zonas de acesso nem sempre permitem que se chegue com a merenda escolar a todas as localidades”, sublinhou, acrescentando que ela foi projectada para atender cerca de 54 mil crianças que se encontram no ensino primário, das quais 22 mil já foram abrangidas. Para a primeira fase, foi estabelecido um valor superior a mil milhões de kwanzas.
A Unidade Técnica Provincial de Combate à Pobreza é coordenada pelo vice-governador para o sector económico, Domingos Guilherme, e acompanha a execução dos projectos no âmbito dos programas integrados de desenvolvimento rural e combate à pobreza, avalia periodicamente o grau de execução das administrações municipais.
Desta comissão fazem parte directores provinciais da Saúde, Energia e Águas, Reinserção Social, Urbanismo e Construção, Pescas, Agricultura e Desenvolvimento Rural, Comércio, Hotelaria e Turismo, Finanças, o secretário provincial da UNACA e o representante da associação dos empresários.

Tempo

Multimédia