Províncias

Criadas todas as condições para o presente ano lectivo

Alfredo Ferreira | Panguila

A província do Bengo reúne as condições necessárias para que o ano lectivo decorra sem sobressaltos, assegurou o governador provincial, João Bernardo de Miranda, na cerimónia de abertura das aulas no ensino normal realizada na localidade do Panguila.

A província do Bengo reúne as condições necessárias para que o ano lectivo decorra sem sobressaltos, assegurou o governador provincial, João Bernardo de Miranda, na cerimónia de abertura das aulas no ensino normal realizada na localidade do Panguila.
A província tem 81mil alunos matriculados, que vão estudar em 289 escolas do ensino primário ao segundo ciclo. João Miranda Informou que o Bengo necessita de mais mil professores e 155 salas de aulas para fazer face à procura e eliminar o número de crianças fora do sistema do ensino normal..
Ao fazer o balanço do ano lectivo de 2011, João Miranda recordou que a província teve um aproveitamento escolar de 95 por cento, considerado um dos melhores,  em todos os níveis de ensino. Houve reprovados, disse o governador provincial, devido à falta de aplicação dos alunos e até mesmo dos professores no que toca à transmissão dos conhecimentos. Por isso, pediu mais rigor na selecção de candidatos a professores.
Pedro Neto, director provincial da Educação, Ciência e Tecnologia, disse que estão disponíveis 633.798 manuais escolares do ensino primário destinados aos municípios. Segundo o responsável, dos manuais disponíveis, 37.514 são para a iniciação, 178.451 para a primeira classe, 156.412 para a segunda classe e 95.164 para a terceira classe. Foram distribuídos 74.401 manuais para a quarta classe, 65.700 para a quinta classe e 26.000 para a sexta classe.
A Direcção Provincial de Educação, disse Pedro Neto, tem 60 mil cadernos escolares, 70 mil esferográficas e 23.220 caixas de giz para distribuir pelas várias escolas da província do Bengo.

Alunos pedem segurança

Os alunos da província do Bengo, durante o acto de abertura do ano lectivo, pediram ao governador João Miranda o reforço da segurança nas escolas.
Iverce Padre, que falava em nome dos alunos da província do Bengo, disse que é necessário reforçar a segurança “porque há muito vandalismo nas nossas escolas”.
João Miranda recordou que a segurança não deve ser apenas da responsabilidade do Governo Provincial, mas também dos encarregados de educação e dos próprios alunos, que devem estar conscientes que a escola é um local de formação académica e moral.
João Miranda reconheceu que o Panguila tem problemas de segurança, por isso pediu a colaboração dos professores, pais e encarregados de educação no sentido de impedir actos de vandalismo nas escolas da região. Os professores comprometeram-se em tudo fazer para o sucesso deste ano lectivo.

Tempo

Multimédia