Províncias

Cruz Vermelha de Angola a viver momentos difíceis

Alfredo Ferreira | Caxito

A Cruz Vermelha de Angola (CVA) na província do Bengo está a atravessar graves problemas financeiros para fazer face ao seu programa filantrópico.

Baltazar Pedro secretário da organização disse que a falta de pessoal agrava a situação
Fotografia: Edmundo Eucílio

A Cruz Vermelha de Angola (CVA) na província do Bengo está a atravessar graves problemas financeiros para fazer face ao seu programa filantrópico.
O secretário provincial da organização, Baltazer Mateus Pedro, que falava sobre o aniversário da instituição, assinalado na sexta-feira, disse que a situação é agravada pela falta de pessoal qualificado.
Baltazar Mateus Pedro referiu que a CVA começou a enfrentar problemas financeiros e humanos no Bengo a partir de 2006, piorando a cada ano que passa.
O responsável disse que a instituição pode encerrar as suas actividades, caso a situação prevaleça. A CVA conta apenas com três funcionários e o atraso de salários ultrapassa os dois meses. O secretário provincial adiantou que “a nível da instituição falta quase tudo”.
Baltazar Mateus Pedro revelou que a direcção nacional da CVA não financia os programas que são traçados anualmente pela secretaria provincial, o que impede o cumprimento dos seus objectivos.
Mesmo assim tem realizado várias palestras sobre o VIH/Sida, a malária e as doenças diarreicas agudas, a par da vacinação contra a poliomielite.
“Temos realizado acções, apesar da situação difíceis em que nos econtramos actualmente”, disse.
A Cruz Vermelha de Angola auxilia os poderes públicos e presta serviços de primeiros socorros e assistência médica.

Tempo

Multimédia