Províncias

Detonados mais de 300 engenhos

Alfredo Ferreira| Bengo

Um total de 314 engenhos explosivos, recolhido em várias regiões do Bengo, foi detonado domingo, na localidade do Icau, município do Dande, pela Brigada do Instituto Nacional de Desminagem (INAD).

Bengo ainda tem 56 áreas minadas e 97 zonas suspeitas
Fotografia: Maria João| Edições Novembro

Segundo o chefe do Departamento de Desminagem na província, João Carvalho, entre os engenhos detonados constam 208 projécteis e 106 abuses de morteiros, recolhidos maioritariamente nos municípios do Dande, Nambuangongo, Bula Atumba e Dembos.

João Carvalho disse que o INAD removeu, desde o início do ano, mais de três minas anti-pessoais, 40 engenhos explosivos, 700 munições de PKM e 81 munições de caçadeiras. O responsável informou que a Brigada de Desminagem do INAD, que conta com 49 técnicos, não registou, este ano, nenhum caso de morte ou de ferimento por motivo de explosão de engenhos. “Os trabalhos de sensibilização que temos feito nas comunidades, a recolha de engenhos explosivos e a limpeza em campos minados têm contribuído, sobremaneira, para evitar acidentes nesta vertente”, disse.
Por outro, Florentino Sebastião Kileba, oficial da Comissão Intersectorial de Desminagem e Assistência à Humanidade (CNIDAH), fez saber que a província do Bengo ainda possui 56 áreas minadas e 97 zonas suspeitas.
Entre os municípios minados, segundo Florentino Kileba, o Dande é o mais afectado, com 31 zonas, depois se segue Nambuangongo, com 13. Ambriz, Dembos, Bula Atumba e Pango Alúquem estão a seguir.
Florentino Kileba disse que estas zonas foram identificadas em 2017, por uma ONG que fez um levantamento conjunto com o Governo nos seis municípios que compõem a província do Bengo.

Tempo

Multimédia