Províncias

Diminuem casos de violência doméstica

Maiomona Artur | Caxito

O centro de aconselhamento familiar da Direcção Provincial da Família e Promoção da Mulher, no Bengo, registou uma diminuição considerável de casos de violência doméstica, durante o primeiro semestre deste ano, disse ontem o chefe do departamento para a política familiar.

Jornada da Mulher Rural concluiu que há mudança de comportamento nos lares
Fotografia: Eduardo Pedro

Francisco André de Sousa, que falava ontem na abertura da Jornada da Mulher Rural, na Barra do Dande, revelou que foram notificados 93 casos contra 148 registos do mesmo período do ano anterior.
“A diminuição de casos deveu-se ao árduo trabalho de sensibilização, com muitas palestras e outras estratégias, levado a cabo pelos técnicos da direcção provincial junto das comunidades”, disse Francisco André de Sousa, que acrescentou que “hoje há uma grande mudança de comportamento dos homens e mulheres no que toca à prática da violência doméstica, sendo agora o diálogo o instrumento mais usado para dirimir conflitos no lar”.
Apesar disso, André de Sousa apontou a fuga à paternidade, o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, as ameaças de morte, o abandono do lar, a privação de bens e de liberdade, o adultério e as ofensas corporais como os casos que ainda deram entrada no centro de aconselhamento familiar. O chefe de departamento da Direcção Provincial da Família e Promoção da Mulher acrescentou que a maior parte das queixas recebidas têm a ver com o incumprimento de mesada por parte dos pais, uma situação que normalmente termina em discussões no seio das famílias.
 “Os casos mais simples de violência são resolvidos internamente, através do diálogo permanente, um sinónimo da cultura de denúncias de várias situações anómalas que atentam contra a integridade física, psicológica e moral de muitos cidadãos”, sublinhou André de Sousa. “A falta de condições sociais e a formação académica são causas que levam muitas famílias à desunião e a comportamentos menos abonatórios para uma convivência sadia e harmoniosa”, concluiu André de Sousa.
A Jornada da Mulher Rural, com o lema «O Contributo da Mulher Rural na Diversificação da Economia», decorre até ao dia 27 deste mês e compreende a realização de várias palestras.

Tempo

Multimédia