Províncias

Elefantes devastam culturas

Elefantes estão a devastar culturas agrícolas na comuna de Parede, município dos Dembos, província do Bengo, provocando carência alimentar na região, constatou a Angop.

Manadas de elefantes estão a devastar muitos hectares de culturas diversas no Bengo
Fotografia: Dr

Elefantes estão a devastar culturas agrícolas na comuna de Parede, município dos Dembos, província do Bengo, provocando carência alimentar na região, constatou a Angop.
A situação está a desmotivar os pequenos agricultores e famílias camponesas a trabalhar, já que vêem gorados os seus esforços para produzir alimentos para a sua subsistência e para venda.
Entrevistada sábado pela Angop, a camponesa Mariana Adriano referiu ter cultivado em 2010 seis hectares de bananal e ginguba, mas os elefantes acabaram por destruir toda a plantação, referindo que o resto das culturas no campo está ameaçado porque os animais continuam à solta.
Solicitou às entidades competentes a criarem condições de segurança na área para proteger os campos cultivados, de forma a afastar os animais.
Já o agricultor Justino Cheleka sublinhou que, se não houver uma intervenção por parte das entidades governamentais e da administração comunal local, a área correrá grandes riscos, sobretudo na livre circulação de crianças e idosos na área.
“Outro problema tem a ver com a escassez alimentar, porque o povo depende unicamente da agricultura de subsistência e pequenos negócios”, enfatizou.
Explicou que muitas famílias praticam a actividade agrícola próximo das suas residências feitas de pau a pique e barro e sentem-se ameaçadas porque os animais poderão atingir as suas moradias. Fonseca Muanza Piedade, camponês, é de opinião que, para fazer face à invasão das lavras por elefantes na localidade, os técnicos do Instituto de Desenvolvimento Florestal deviam instruir os camponeses e cidadãos da região a prevenir-se dos animais.
Os elefantes alimentam-se de acácias, pés de milho, bambú, amora, figo, maçã, banana, cenoura, inhame, farelo e rações para herbívoros.
Contactados pela Angop, responsáveis da administração comunal, que preferiram o anonimato, explicaram que o sector da Agricultura na região carece de solução para travar a devastação dos campos agrícolas pelos elefantes.
O município dos Dembos, que está a cerca de 150 quilómetros a norte da cidade de Caxito, província do Bengo, tem uma superfície de 1.170 quilómetros quadrados e possui quatro comunas, Kibaxe, Coxe, Paredes e Piri.
A população dos Dembos é de, pelo menos, 16.303 habitantes. A agricultura e a caça são as actividades mais praticadas.

Tempo

Multimédia