Províncias

Empreendimentos dinamizam a vida na zona de Ambriz

Alfredo Ferreira | Ambriz

O município do Ambriz, na província do Bengo, ganhou ontem três novas infra-estruturas para os sectores da Educação, Comércio e Indústria, que vão garantir emprego aos jovens e incentivar o desenvolvimento social e económico da região.

Várias infra-estruturas de impacto social são construídas em comunidades da região para promover a qualidade de vida da população
Fotografia: José Soares | Edições Novembro

Das infra-estruturas inauguradas pelo governador João Miranda, destaque para uma escola do ensino primário, com 12 salas, que vão albergar, em dois turnos, 420 alunos.
Para o sector comercial, João Miranda abriu as portas de um mercado de peixe, na vila piscatória do Ambriz, com 50 lugares para as vendedoras, que clamavam há muito por um espaço digno.
No sector industrial, o governante inaugurou uma fábrica de produção de água denominada Bela.V, sediada na comuna da Bela Vista, que possui capacidade para produzir diariamente 18 mil garrafas.
A unidade fabril, iniciativa privada, ficou orçada em cinco mil milhões e 500 mil dólares e permitiu a criação de 24 postos de trabalho para os jovens da comuna da Bela Vista.
Ao intervir após as inaugurações, João Miranda apelou à população no sentido de preservar as infra-estruturas, de modo a servirem as gerações vindouras.
“Espero que outros empresários públicos e privados aproveitem as potencialidades de água e recursos naturais que o município do Ambriz oferece, investindo na indústria transformadora, para galvanizar a municipalidade”, realçou o governador João Miranda.

Iniciativas privadas

O director-geral da empresa Bela.V, Anécio Faria, disse à nossa reportagem que a intenção é continuar a empreender para criar mais postos de trabalho, ajudando o Governo a garantir o desenvolvimento do município do Ambriz e não só. Além da empresa de água na localidade da Bela Vista, os sectores pesqueiro e turístico constam dos programas a serem implementados, com vista a conferir maior dignidade à região e emprego aos jovens.
No âmbito do plano social da empresa, Anécio Faria referiu que está em curso a terraplanagem da via Bela Vista/desvio do Ambriz, num percurso de 63 quilómetros, com vista a permitir maior fluidez ao trânsito. Dos 24 jovens que conseguiram emprego na fábrica de produção de água Bela.V, Francisco João foi colocado na área de enchimento e garante que tudo tem feito para que o produto final possa ter a qualidade desejada.
 Fez saber que o emprego lhe permitirá continuar a estudar e pagar as despesas do seu agregado familiar. Para Santos Fernandes, o emprego conseguido vai mudar o rumo da sua vida, ajudar os parentes, dar continuidade à formação e adquirir bens diversos para o seu lar.

Peixeiras satisfeitas

Joana Pedro, de 52 anos, dos quais 22 como vendedora de peixe, mostrou-se satisfeita por ver as condições do mercado melhoradas, sublinhando que há muito aguardava pela inauguração desta infra-estrutura. A vendedora apelou às outras peixeiras para manterem o local limpo e conservado, para que os produtos comercializados tenham a qualidade desejada.
Para Maria Augusta, a inauguração do mercado permitirá que o pescado seja comercializado num espaço digno, limpo e que vai atrair clientes provenientes de outras regiões do país.
As vendedoras do mercado do peixe solicitam uma câmara frigorífica, para a conservação do produto, tendo reconhecido que a falta de energia eléctrica da rede pública pode impossibilitar tal desiderato.
O município do Ambriz, a cerca de 125 quilómetros da cidade de Caxito, faz fronteira a norte com o município do Nzeto (Zaire), a sul com o Dande, a leste com Nambuangongo e a oeste com o Oceano Atlântico. Com uma população estimada em 17.575 habitantes, a circunscrição compreende as comunas de Tabi, Bela Vista e a sede (Ambriz), cuja população dedica-se, na sua maioria, à pesca artesanal e à agricultura de subsistência.

Tempo

Multimédia