Províncias

Ensino nocturno com dificuldades

Edson Fontes | Quibaxe

A instalação do primeiro e segundo ciclos no período nocturno regista dificuldades em algumas localidades dos Dembos, disse o director municipal da Educação.

Estão a ser reabilitadas e construídas salas de aula para que mais crianças sejam inseridas no sistema normal de ensino
Fotografia: Maria João

Manuel Capemba salientou que a falta de alternativa à energia eléctrica, sobretudo nas escolas fora da sede municipal, e de condições nas salas, principalmente lâmpadas e quadros, dificultam a concretização do objectivo. As escolas do interior dos Dembos há muito que sentem a falta de energia eléctrica e de equipamentos à altura de um ensino de qualidade.
O director municipal da Educação referiu que o ensino de adultos da iniciação à 12ª classe registou no ano passado 2.106 matrículas, número que pode subir em breve, tendo em conta o interesse manifestado pela população em estudar.
As mulheres estão em maioria nas aulas de alfabetização da região dos Dembos.
Também anunciou que a direcção municipal vai aumentar a intervenção, principalmente o acompanhamento nas escolas para evitar que continuem a haver salas sem aulas por falta de supervisão.
No município estão matriculados 6.462 alunos da iniciação ao segundo ciclo.
Apesar das dificuldades, o director municipal disse que os níveis de aproveitamento escolar no ano passado foram de cerca de 80 por cento. Também ano passado houve 42 escolas em funcionamento nas comunas de Quibaxe, Piri, Paredes e no Coxi . Estão ao serviço195 professores do ensino primário e 95 do primeiro e segundo ciclos. O director afirmou que o município dos Dembos precisa de mais de 120 professores
 Manuel Capemba está preocupado com as desistências no primeiro ciclo de alunos, principalmente do sexo feminino. Relativamente ao ensino especial, houve a inscrições de cinco candidatos que tiveram de ser incorporados no sistema normal por não haver salas apropriadas para este nível.

Tempo

Multimédia