Províncias

Escoamento de produtos agrícolas dificultado pelo estado de estradas

Alfredo Ferreira | Quissama

O mau estado da estrada que liga a localidade de Cacoba à sede do município da Quissama, província do Bengo, está a dificultar o escoamento de produtos agrícolas.

Muitos produtos agrícolas como hortícolas chegam a se estragar por falta de escoamento
Fotografia: Jornal de Angola

O mau estado da estrada que liga a localidade de Cacoba à sede do município da Quissama, província do Bengo, está a dificultar o escoamento de produtos agrícolas.
De acordo com Domingos António Baltazar, secretário do soba local, muito produtos que são cultivados nesta região têm estado a estragar-se porque os meios de transporte dificilmente chegam à Cacoba, zona que fica a cerca de 16 quilómetros da sede municipal.
Para o presente ano agrícola, a Mecanagro (Empresa de Mecanização Agrícola) preparou cerca de 30 hectares de terra naquela localidade, no âmbito do programa de combate à fome e à pobreza, para que se possam cultivar produtos como a mandioca, milho, batata-doce, banana e hortícolas. Além das péssimas condições que a via apresenta, a população de Cacoba também enfrenta problemas na área da saúde, educação, energia e águas.
Domingos Baltazar afirma que a localidade precisa de instituições sanitárias e escolares, de resolver questões relacionadas com o abastecimento de água potável e de fornecimento de energia eléctrica. O secretário do soba de Cacoba disse que boa parte dos habitantes necessitam de aprender a ler e a escrever, assim como sentem dificuldade em aderir aos programas de saúde, aumentando as probabilidades de enfrentar várias patologias, como o paludismo e as diarreias. A região é composta por três sectores, designadamente a sede de Cacoba, Cambuiji e Milende, onde habitam 428 pessoas, sendo 270 homens, 86 mulheres e 64 crianças, encontrando-se estas últimas fora do sistema de ensino. Cerca de 300 integram as cooperativas de Massango ou Deus Quem Sabe, Nena Epungo e Banga Wé.

Tempo

Multimédia