Províncias

Escolas do Dande com mais alunos

Alfredo Ferreira| Dande

Mais de 40 novas salas de aula vão ser construídas ainda este ano no Município do Dande, na Província do Bengo, permitindo a entrada no ensino de 4.200 novos alunos, disse ao Jornal de Angola o administrador municipal, Mateus Domingos.  

Acesso ao ensino está mais facilitado
Fotografia: Jornal de Angola

Mateus Domingos Diogo considerou que a construção de novas salas no município, inserido no Programa de Combate à Fome e à Pobreza, vai ajudar a atenuar as dificuldades na inserção de crianças actualmente fora do sistema de ensino.  O Município do Dande conta actualmente com 138 escolas de vários níveis de ensino e cerca de três mil professores. Em 2013, foram matriculados mais de 40 mil alunos.
“Já não temos tantas preocupações em relação à inserção de crianças em idade escolar no sistema de ensino. Contudo, devemos continuar a prestar uma especial atenção ao tratamento de casos que possam surgir, para que este direito básico seja assegurado a todos”, disse Mateus Diogo, que se mostrou particularmente preocupado com o elevado número de casos de paludismo no município, que no ano passado totalizaram 5.104. O administrador precisou que em 2013 um número de 106.511 crianças foi vacinado contra a poliomielite e foram distribuídas três ambulâncias aos centros de saúde das localidades do Panguila, Quicabo e do Úcua. Para este ano, estão entre as prioridades da Administração Municipal a reparação de 23 quilómetros de estrada que facilitam o acesso a localidades do interior, além da construção de uma central de captação, tratamento e abastecimento de água potável na cidade de Caxito.
Neste momento, estão em fase de conclusão as obras de construção da rede de esgotos do centro de captação de água do Porto Quipiri. Para dar melhor credibilidade à venda de produtos, o administrador municipal informou que vai ser construído um novo mercado com grandes naves para o comércio de produtos agrícolas, vestuário, calçado, bebidas, electrodomésticos e materiais de construção.
“Trata-se de um empreendimento que vai dar mais dignidade à vila de Caxito e evitar a proliferação de vendedores em qualquer canto”, sublinhou Mateus Diogo.

Tempo

Multimédia