Províncias

Falta de Internet dificulta arranque da loja de registos

A falta de um sistema de Internet está a condicionar a criação de uma loja de registos, na comuna de Cazuangongo, município de Pango Aluquém, na província do Bengo.

O administrador comunal, Francisco Sebastião Adão, manifestou essa preocupação em declarações à Angop, à margem da visita efectuada terça-feira pelo ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Rui Mangueira, aos municípios de Pango Aluquém, Bula Atumba e Dembos.
A criação de uma loja de registos na comuna do Cazuangongo enquadra-se na expansão do programa de sistema integrado de registos do Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos.
Francisco Sebastião Adão esclareceu que a implantação de uma loja de registos vai facilitar, sobretudo dos habitantes dos  munícipios do Cazuangongo que  percorrem cerca de 40 quilómetros até à sede municipal para tratar do Bilhete de Identidade ou o assento do nascimento.
A Administração Municipal  disponibiliza  algumas vezes uma viatura para o transporte da população em zonas recônditas para   tratarem os documentos na sede municipal, disse Francisco Adão.
Na sua primeira deslocação aos municípios do Pango Aluquém, Bula Atumba e Dembos, o ministro da Justiça e dos Direitos Humanos visitou as instalações que vão acolher  as lojas de registos e o Balcão Único de Empreendedor (BUE).
O Ministério da Justiça e dos Direitos humanos pretende levar a todas as localidades do país os seus serviços.

Tempo

Multimédia