Províncias

Famílias vulneráveis no Bengo recebem apoio

Edson Fontes | Pango Aluquém e Maiomona Artur | Caxito

Mais de 20 toneladas de bens de primeira necessidade foram entregues, quinta-feira, às populações vulneráveis do município do Pango Aluquém, na província do Bengo, pelo ministro da Assistência e Reinserção Social, Gonçalves Muandumba.

As mais de vinte toneladas de produtos diversos são destinadas aos lares infantis da província do Bengo e às vítimas das chuvas
Fotografia: Edmundo Eucílio| Bengo| Edições Novembro

“Este gesto surge na sequência de um pedido de emergência que o Governo da província fez no final do ano passado. Como sabem, há muitas dificuldades, foi preciso mobilizar alguns meios, com a união de organizações filantrópicas, para atenuarmos o sofrimento da população em situação de vulnerabilidade”, disse o ministro Gonçalves Muandumba.
Segundo o ministro, o objectivo da visita à província do Bengo é fundamentalmente presidir o Conselho Consultivo Alargado do Ministério da Assistência e Reinserção Social, realizado de 16 a 17 do corrente mês, em Caxito, sob o lema “acção social, prevenção, protecção e promoção”.
Gonçalves Muandumba acrescentou que o objectivo do encontro é fazer um balanço do programa de assistência e reinserção social durante o ano de 2016, bem como discutir com os directores provinciais, dos institutos e parceiros sociais, o programa de 2017, visto ser um ano bastante dinâmico e especial.
O ministro afirmou que a capacidade de resposta aos sinistrados é muito limitada, sendo por isso necessário manter os programas que estão a ser executados, apesar de não ser com a mesma dinâmica e velocidade que se pretendia.
“Temos projectos em curso não só no sector da reinserção social, visando o bem-estar das populações”, disse o ministro Gonçalves Muandumba, acrescentando que “o Governo da província escolheu Pango Aluquém, visto ser um dos municípios que sofreu no ano passado grandes enxurradas, o que fez com que alguns habitantes perdessem os seus bens e haveres e várias casas ficassem sem coberturas e outras totalmente destruídas”.
Gonçalves Muandumba recordou que cerca de 200 agregados familiares, aproximadamente 900 pessoas, foram directamente afectadas pelas chuvas, no ano passado, altura em que 287 famílias vulneráveis da província do Bengo beneficiaram de bens de primeira necessidade, no quadro do Programa de Apoio Social.
A directora provincial da Assistência e Reinserção Social (DPARS), Anastácia de Vasconcelos, disse ontem, ao Jornal de Angola, que deu-se prioridade às crianças controladas pela instituição, infectadas pelo HIV/Sida e deficientes.  Anastácia de Vasconcelos avançou que 1.722 pessoas, entre crianças vulneráveis, idosos e jovens reintegrados, num total de 344 famílias dos municípios do Dande e Pango Aluquém, beneficiaram de cesta básica e chapas de zinco, no âmbito do programa de melhoramento e reconstrução de residências.
No capítulo do repatriamento, avançou que a DPARS recepcionou e encaminhou duas pessoas oriundas do posto limítrofe do Luau, na província do Moxico, para o município do Icolo e Bengo (Luanda).  Anastácia de Vasconcelos disse que durante o ano passado, a DPARS debateu-se com algumas dificuldades, como a exiguidade de pessoal para melhor dinamizar os programas e projectos ligados à assistência e desenvolvimento da acção social, bem como défice de equipamentos básicos para os Centros Infantis Comunitários.
 Apontou como perspectivas, o apoio às crianças dos Centros Infantis Comunitários (CIC) e as que se encontram em condições de vulnerabilidade, a expansão dos Programas Infantis Comunitários e de Educação em todos os municípios e trabalho de geração e renda.
 
Idosos assistidos

 
Segundo Anastácia de Vasconcelos, 125 idosos foram assistidos em 2016 com bens de primeira necessidade e bengalas, muletas e óculos, pela Assistência e Reinserção Social.  Nove idosos foram encaminhados para a sua reintegração nas províncias do Bengo, Bié, Huambo, Cuanza Sul e Luanda e um nos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria para a sua inserção.
 Anastácia de Vasconcelos revelou ainda que 220 pessoas com deficiência foram apoiadas com andarilhos, canadianas e cadeiras de rodas, com vista à sua inserção na comunidade.
 De recordar que a Direcção Provincial da Assistência e Reinserção Social (DPARS) na província do Bengo controla 3.688 idosos, sendo 1.750 mulheres.

Tempo

Multimédia