Províncias

Formação de professores é reforçada no Bengo

Alberto Ferreira| Caxito e Casimiro Pedro| Ebo

A melhoria da qualidade do processo de ensino, por meio da formação contínua dos professores, vai continuar a ser reforçada, anunciou ontem em Caxito o director provincial da Educação do Bengo.

Cada vez mais alunos do ensino primário de várias escolas do município recebem merenda escolar no presente ano lectivo
Fotografia: Casimiro José

António Quino falava durante a abertura das jornadas alusivas ao Dia do Educador, que se assinala hoje, sob o lema “Pela afirmação do sistema de educação, trabalhemos por docentes de excelência e comprometidos com o desenvolvimento do país”.
Entre os grandes desafios da Educação no Bengo, para o próximo ano, o director apontou a melhoria das condições de aprendizagem nas escolas, enquadramento de pessoas com vontade e capacidade adequada para o exercício do professorado, melhorar a formação e capacitação dos docentes e gestores escolares, assim como o reforço da organização e gestão de todo o sector e dos mecanismos de avaliação e inspecção.
Técnicos de recursos humanos da Direcção Provincial da Educação do Bengo também participam numa formação sobre técnicas de gestão educacional.
A chefe do departamento para os assuntos laborais do Gabinete de Recursos Humanos do Ministério da Educação, Liliana Fernandes, que orienta a formação, acredita que o seminário vai ajudar os gestores da área a trabalhar com zelo e eficiência. A má gestão dos recursos humanos é uma fonte inesgotável de estrangulamento de qualquer secção ou departamento, sendo por isso necessário incutir novos elementos que sirvam de guia para o seu funcionamento. “Queremos incorporar a ideia de que gerir recursos humanos não se resume em planear, gerenciar, entrevistar, seleccionar, contratar, ou manter o processo de gestão da qualidade das pessoas qualificadas e suas expectativas”, enfatizou a responsável do deparmento da  Educação.
Durante o seminário, os técnicos de Recursos Humanos vão aprender lições sobre o conhecimento dos normativos e dispositivos legais de gestão e a relação jurídico-laboral para garantir a eficiência e a melhoria dos processos.

Cuanza Sul

O sector da Educação do município do Ebo, na província do Cuanza Sul, necessita de 96 salas de aulas e de 193 novos professores, para funcionar em pleno, informou ontem a sua chefe de repartição.
Domingas Camuassi disse que a construção de salas e o aumento de professores vai facilitar a inserção de um universo de 8.292 crianças, que se encontram fora do sistema do ensino.
A situação pode agravar-se ainda mais caso os níveis de reprovações de alunos sejam acentuados, o que impede que outras crianças tenham espaço para ingressar no próximo ano lectivo.
Quanto ao aproveitamento escolar no presente ano lectivo, a chefe de repartição disse que, apesar de vários condicionalismos, 85 por cento dos objectivos traçados para este ano lectivo foram alcançados.
Sobre a merenda escolar, a responsável da Educação disse que um total de 3.200 alunos do ensino primário, distribuídos nas escolas 1º de Maio, Mbanza Muxito, Hengo, Tumba Piri, Hage e Quissanje, beneficiam deste programa.
Neste ano lectivo, o sector matriculou 31.213 alunos, da iniciação à 12ª classe. O processo de alfabetização absorve 1.166 alfabetizandos, através dos métodos "Sim eu posso" e "Gostar de ler e escrever".
A rede escolar no município do Ebo, província do Cuanza Sul, compreende 44 escolas de construção definitiva, 255 salas provisórias e 68 salas improvisadas. O processo de ensino e aprendizagem é assegurado por 630 professores.

Tempo

Multimédia