Províncias

Governo aumenta valor do prémio

O governo provincial do Bengo decidiu, na sua segunda reunião ordinária, aumentar o valor do prémio provincial de jornalismo para dois milhões de kwanzas, o dobro do montante anterior.

Um pormenor da cidade do Caxito que acolheu a segunda reunião ordinária do Governo local
Fotografia: Jornal de Angola

O governo provincial do Bengo decidiu, na sua segunda reunião ordinária, aumentar o valor do prémio provincial de jornalismo para dois milhões de kwanzas, o dobro do montante anterior.
Uma nota do governo, distribuída  à imprensa, salienta que o galardão contempla três categorias, de imprensa, rádio e televisão. Cada candidato vencedor tem direito a um valor de 500 mil kwanzas e um certificado de mérito, esclarece a nota governamental.
Outra novidade tem a ver com a introdução de cinco menções honrosas, que visam distinguir trabalhos jornalísticos que reflictam as boas práticas no meio rural, em torno da actividade agrícola e da pecuária. Os jornalistas devem abordar ainda questões relacionadas com o empreendedorismo juvenil na gestão de pequenos negócios, harmonia familiar e educação jurídica, devendo os distinguidos ser contemplados com 100 mil kwanzas.
O documento refere ainda que a reunião ordinária apreciou o regulamento proposta, que cria o prémio provincial da educação, que passa a designar-se “Manuel Lopes Maria”, o primeiro governador da província do Bengo. Neste particular, salienta a nota, está criada uma comissão encarregue de apresentar as propostas sobre as modalidades, bem como a regulamentação das categorias e valores a atribuir aos vencedores.

Ocupação ilegal de terrenos


A par disso, os membros do governo foram informados sobre a proliferação do fenómeno da ocupação ilegal de terrenos, nas áreas da Barra do Dande, Capari 2 e na zona sul da Kissomeira. O encontro orientou a administração municipal do Dande a desenvolver acções concertadas com a Polícia Nacional, que devem ser antecedidas de um aviso público sobre as responsabilidades da ocupação ilegal de terrenos.Os responsáveis municipais, salienta o documento, devem identificar as áreas ocupadas, livres de qualquer titularidade, com o objectivo de urbanizá-las para posterior distribuição à população.
Os participantes à reunião ordinária tomaram ainda conhecimento da situação actual do Balcão Único do Empreendedor (BUE).

Tempo

Multimédia