Províncias

Hospital melhora o atendimento

Pedro Bica| Quibaxe, Bengo

Ao todo, 120 doentes, com várias patologias, acorrem diariamente ao Hospital Regional dos Dembos/Quibaxe devido à qualidade dos serviços prestados, afirmou, ontem, ao Jornal de Angola, o administrador em exercício da unidade sanitária.

O hospital foi recentemente reabilitado no âmbito do programa do Governo de melhoria e aumento da oferta de serviços sociais básicos à população
Fotografia: Edmundo Eucílio| Bengo

Ao todo, 120 doentes, com várias patologias, acorrem diariamente ao Hospital Regional dos Dembos/Quibaxe devido à qualidade dos serviços prestados, afirmou, ontem, ao Jornal de Angola, o administrador em exercício da unidade sanitária.
O hospital tem capacidade para internar 37 doentes dos Dembos e presta também assistência às populações dos municípios do Bula Atumba e Pango Aluquém.
O estabelecimento, lamentou Sabino Fernandes, tem, de momento, falta de energia eléctrica de manhã e à tarde devido a uma avaria no gerador, que só funciona das 18h00 à meia-noite, o que tem retardado a entrega das análises laboratoriais.
Por o bloco operatório não funcionar em pleno, referiu, há doentes que são transferidos para o Hospital Provincial, em Caxito.
Sabino Fernandes lamentou também que das três ambulâncias do hospital apenas uma funcione, o que dificulta o transporte dos casos mais graves para a vila de Caxito.
A unidade hospitalar dos Dembos/ Quibaxe tem três médicos, 84 enfermeiros e 123 funcionários administrativos. O estabelecimento, disse, precisa de mais seis médicos para área de medicina geral, pediatria, maternidade e da especialidade de cirurgia.

Movimento hospitalar

Durante o primeiro semestre deste ano, o hospital registou 2.486 consultas, 906 das quais realizadas pela equipa de enfermeiros.  Para as consultas externas de crianças, até aos 4 anos, registou 887 casos. Relativamente a consultas de medicina, houve 1849.
A pediatria atendeu 1473 casos e a maternidade, 479. No mesmo período, estiveram internadas114 pessoas, seis das quais faleceram. Mais de 1776 doentes foram diagnosticados com paludismo, 486, com diarreia aguda, 340, com doenças respiratórias aguda, 114, com infecções urinárias e 69, com hipertensão arterial.
O responsável clínico revelou que também se registaram casos de febre tifóide, gastrites, conjuntivites, tuberculoses e de mordedura de cobras. As principais doenças no município dos Dembos/ Quibaxe são diarreias aguadas, paludismo e as infecções urinárias, uma vez que grande parte da população consome água dos rios sem tratamento.
Apesar de a rede sanitária cobrir quase todo o município, com postos de saúde nas comunas do Piri e Coxe, as populações de algumas aldeias percorrem longas distâncias à procura de cuidados sanitários. Está prevista a construção de alguns centros de referência nas zonas de maior densidade populacional. Sabino Fernandes afirmou que deve ser dada prioridade à reabilitação e apetrechamento do banco de urgência e das secções de rádio X, estomatologia e de radiologia, que deve ser reforçada com mais técnicos.
Acções de formação de especialistas de várias áreas, melhoria da dieta alimentar dos pacientes internados e a reactivação do centro de testagem voluntária de HIV/sida, inactivo por falta de técnicos especializados são outras prioridades do hospital. O município dos Dembos/Quibaxe tem 17.505 habitantes, que se dedicam, maioritariamente, à agricultura de subsistência. 

Tempo

Multimédia