Províncias

IDF sem meios para fiscalização de florestas

Edson Fontes | Caxito

A brigada do Instituto de Desenvolvimento Florestal da província do Bengo está, neste momento, a atravessar dificuldades, concernentes ao reforço de meios para a protecção florestal.

A brigada do Instituto de Desenvolvimento Florestal da província do Bengo está, neste momento, a atravessar dificuldades, concernentes ao reforço de meios para a protecção florestal.
Esta informação foi prestada ontem, ao Jornal de Angola, pelo chefe da brigada, Adriano Pimentel, que revelou ser actividade principal da instituição a monitorização, controlo e fiscalização da floresta.
O responsável revelou que o desafio é bastante grande, pelo facto de o território da província ser tão vasto e permitir constantemente a devastação e a caça furtiva.
Na ocasião Adriano Pimentel pediu ao governo no sentido de apetrechar a sua instituição com meios técnicos, por formas a colmatar as dificuldades que persistem.
Importa realçar que a brigada do Bengo conta com 59 trabalhadores, dos quais 36 são fiscais, que têm garantido o normal funcionamento da actividade florestal.
Indicou que a brigada de desenvolvimento florestal na província conta com o apoio da Polícia Nacional no combate à caça furtiva e à devastação do meio ambiente.

Tempo

Multimédia