Províncias

Kissama completa 72 anos de existência

Kissama, na província do Bengo, comemorou ontem o 72º aniversário da sua elevação à categoria de município, com a realização de diversas actividades políticas, recreativas e culturais, noticia a Angop.

Diversas actividades assinalam hoje as festas da Kissama
Fotografia: Francisco Bernardo

Kissama, na província do Bengo, comemorou ontem o 72º aniversário da sua elevação à categoria de município, com a realização de diversas actividades políticas, recreativas e culturais, noticia a Angop.
Para saudar a data, a administração municipal realiza hoje o acto central das comemorações da municipalidade, que dista cerca de 180 quilómetros da cidade de Caxito, capital da província do Bengo.
O acto será presidido pelo administrador municipal, João Martins, e deverá ser assistido por membros do Governo da província, da administração local, autoridades tradicionais e entidades religiosas.
Com uma superfície de 12 mil e 45 quilómetros quadrados, o município da Kissama possui cinco comunas (Muxima, Cabo Ledo, Demba Chio, Mumbondo e Kixinge) e uma população estimada em 22 mil habitantes, que se dedicam maioritariamente a actividade agrícola e à pesca artesanal.
O município tem como referências o Parque Nacional da Kissama, que ocupa uma área de 9.600 quilómetros quadrados, e uma fauna e flora diversificada. Kissama tem ainda o Santuário da Muxima, que, anualmente, acolhe a peregrinação em devoção à Nossa Senhora da Conceição, também conhecida como Nossa Senhora da Muxima, uma das mais veneradas em Angola.
Por outro lado, a Associação dos Naturais e Amigos do Piri-Dembos (Anapiri) realiza, hoje, uma excursão turística à comuna do Piri, município dos Dembos.
Segundo uma nota da organização chegada à Angop, a associação vai realizar acções de carácter filantrópico, recreativas, culturais e desportivas.
Na comuna do Piri, a associação vai montar uma tela gigante para permitir que os habitantes da região acompanhem os jogos do mundial de futebol, que pela primeira vez se realiza no continente africano.
Os associados vão ainda efectuar visitas ao cemitério da região, ao centro de saúde, a uma escola e manterão encontros com o administrador comunal e autoridades tradicionais do Piri.

Tempo

Multimédia