Províncias

Localidades do Bengo em profunda renovação

Guimarães Silva| Bengo

As comunas do Tabi, Bela Vista e a sede do município do Ambriz, na província do Bengo, vão passar a usufruir de vários empreendimentos de carácter socioeconómico, a inaugurar brevemente. O governador João Bernardo de Miranda deslocou-se na segunda-feira entre Caxito e Ambriz, para verificar o andamento das obras.

Governador João Miranda visitou as obras que estão a ser efectuadas na ponte sobre o Rio Onzo que dá acesso à localidade do Tabi
Fotografia: Edmundo Eucílio| Bengo

Dos Libongos ao Ambriz, um troço de 88 quilómetros, as máquinas de grande porte há muito concluíram a desmatação, desminagem e terraplenagem da via.
Actualmente, a circulação pela estrada já asfaltada, que vai da localidade dos Libongos à comuna do Tabi, ainda é limitada, devido a alguns imperativos, entre os quais a construção das passagens hidráulicas.
No troço do Ambriz ao Tabi, de 82 quilómetros, há espaços divididos em asfalto, terraplenagem e colocação de passagens hidráulicas, uma vez que o município é atravessado pelos rios Onzo, Ueso e Loge.
A vila do Ambriz tem potencial económico, com o despontar da indústria de construção de plataformas e extractiva, pesca, agricultura, sistema bancário, telecomunicações e turismo.
Com a conclusão da estrada e instalação do sistema de energia eléctrica, mais projectos para o crescimento e criação de emprego vão ser desenvolvidos. Simultaneamente, mais de cem fogos habitacionais, num total de 200, estão em fase conclusiva.
As casas, erguidas numa zona urbanizada na área do antigo aeroporto, vão dar conforto aos futuros moradores.
Do leque de obras constam a construção da biblioteca, reabilitação de residências e a construção do bloco operatório do hospital. A Bela Vista fica a 90 quilómetros do Ambriz. O troço que separa as duas localidades está em obras, com trabalhos de terraplanagem, o que vai facilitar a circulação.  A comuna é dos pólos agrícolas mais importantes do município.
O solo é fértil e as chuvas ajudam no cultivo da banana, mandioca, ginguba, milho e citrinos.
O administrador da comuna do Ambriz, João Baptista Pedro, disse que a cintura verde da Bela Vista produz o suficiente para abastecer mercados concorridos, como os de Luanda e Caxito. Por isso, a facilidade de circulação vai permitir aos camponeses da comuna sentirem mais depressa os efeitos dos esforços empreendidos, principalmente no escoamento dos produtos.

Outros avanços

A comuna, com cinco mil habitantes, dispõe de um centro de saúde e três postos médicos, nas localidades de Loge Grande, Quimbumbi e Quizonge.
Os cinco enfermeiros que ali trabalham, lutam para combater o paludismo, as doenças diarreicas e respiratórias, consideradas as principais enfermidades a nível da região. Quanto à Educação, o ensino primário já é uma realidade e o primeiro ciclo está limitado à Belavista.
A população da comuna usufrui de água potável, através de um sistema por gravidade, que abastece oito chafarizes.

Localidade de Loge

Na localidade de Loge Grande, que tem 530 habitantes, está em fase de conclusão um sistema de abastecimento de água, com captação e reservatório de 20 metros cúbicos, que vai abastecer três chafarizes, dos quais um já concluído. No Quimbumbi está em e­xecução um furo, para captação de água subterrânea.
Está ainda em construção uma escola de seis salas para o primeiro ciclo e 50 residências evolutivas. Os fogos já estão em fase de conclusão e o governador João Bernardo de Miranda garantiu que eles vão servir para albergar professores e enfermeiros da localidade.
A Bela Vista conta ainda com um projecto de construção de uma estrada, de 96 quilómetros, que vai ligar esta comuna à Muxaluando, no município de Nambuangongo.
Esta obra, segundo Fernando Mariano, da empresa Zagope, está orçada em 8,1 mil milhões de kwanzas e tem um prazo de execução de 24 meses.

Visita ao Tabi


O Tabi também está a registar progressos, principalmente na construção de escolas, centros e postos médicos.
Neste momento, um estabelecimento de ensino do primeiro ciclo, com seis salas, gabinetes e pavilhão multifuncional, está em fase de conclusão.
Durante a visita, o governador constatou que a localidade já tem o sistema de água a funcionar, embora algumas aldeias ainda tenham necessidade de resolver pormenores técnicos.
A ponte, de 35 metros, que liga esta localidade à sede municipal está igualmente em fase de conclusão.
A comuna do Tabi, na província do Bengo, com 6.635 habitantes, dispõe de outros serviços sociais básicos, como um centro de saúde, escolas do ensino primário com 565 alunos, e outra do primeiro ciclo, que acolhe outras 69 crianças. Na comuna do Tabi, a energia eléctrica a população é fornecida por um grupo gerador.

Tempo

Multimédia