Províncias

Mais cidadãos alfabetizados

Alfredo Ferreira e Edson Fontes| Bengo

Um total de 55 mil habitantes da província do Bengo aprenderam a ler e a escrever, no período de 2008/2015, no âmbito do Programa de Alfabetização e Aceleração Escolar, revelou ontem, na cidade de Caxito, o director provincial da Educação.

Direcção da educação trabalha com parceiros sociais para se encontrar mecanismo que permitam melhorar o processo de ensino
Fotografia: Maria João

António Quino falava após o encontro sobre o processo da alfabetização a nível da província e disse que estes alfabetizados aprenderam a ler e a escrever devido aos esforços conjuntos com os parceiros sociais, tendo em conta os métodos cubano e brasileiro “ Sim Eu Posso” e “ Aldeia Global”.
Para este ano lectivo foram matriculados 8.967 alunos, com aulas asseguradas por 161 alfabetizadores, num esforço que visa acabar com o analfabetismo até 201. António Quino salientou que decorrem contactos com parceiros sociais, para se encontrar mecanismos que permitam melhorar o processo de ensino da criança dos zero aos cinco anos, com vista a garantir que ela chegue ao ensino formal já sem dificuldades.
O director provincial da Educação disse que existe uma certa preocupação das autoridades em melhorar o processo de aprendizagem da primeira infância. Esta preocupação prende-se com a criança dos zero aos cinco anos, um processo anterior à entrada da criança no sistema do ensino formal. O consultor do Ministério da Educação, Alfredo Fuentes, disse que a província do Bengo tem muitas possibilidades de eliminar o analfabetismo, devido ao apoio dos parceiros sociais.
 Alfredo Fuentes sublinhou que a província deve aproveitar a experiência positiva da República de Cuba na implementação dos programas que visam a erradicação do analfabetismo. Para o êxito do Programa de Alfabetização e Aceleração Escolar, a direcção provincial da Educação conta, além dos 161 alfabetizadores, com diversos parceiros sociais como igrejas, instituições públicas, partidos políticos, entre outras organizações.

Tempo

Multimédia