Províncias

Médicos da província em acção de formação

Um grupo de 28 médicos de várias especialidades dos seis municípios do Bengo concluiu um seminário sobre prevenção e tratamento do VIH/Sida promovido pela Direcção Provincial de Saúde em colaboração com o Instituto Nacional de Luta contra Sida.

Os participantes adquiriram conhecimentos sobre vigilância epidemiológica, monitorização, avaliação, atendimento, aconselhamento, testagem, tratamento, infecções oportunistas relacionadas com VIH/Sida, prevenção, registo de informações e segurança.
A coordenadora do programa do VIH/Sida, Graça Manuel, disse à Angop que a acção de formação se enquadra no projecto deste ano de aceleração de resposta à doença.
 O director provincial de Saúde, António Martins, exortou ao  maior empenho e dedicação dos profissionais do sector no exercício das suas responsabilidades.
 No âmbito do mesmo programa, técnicos de saúde de várias unidades sanitárias dos seis municípios do Bengo receberam formação, em Caxito, sobre prevenção da transmissão vertical do Vih/Sida. Os participantes reforçaram conhecimentos sobre Vih/ Sida  e registo de voluntários.

Violência doméstica


Jovens das províncias do Zaire e Bengo, estudantes e professores, foram aconselhados em Caxito, a denunciar casos de violência ­doméstica e outros males que assolam a sociedade no geral. O conselho foi dado pelo chefe do departamento para área de prevenção à delinquência juvenil da Direcção Provincial de Investigação Criminal, Vicente Graciano, durante uma palestra sobre o tema “A delinquência juvenil, consumo de drogas e uso excessivo de álcool, causas e consequências”, na qual estiveram presentes 580 jovens.
O Chefe do departamento  para a área de prevenção  à delinquência, Vicente Graciano, disse que a polícia actua quando há denúncias por parte dos cidadãos e este processo contribui para a solução de muitos problemas e o sossego das famílias.
Sublinhou que uma das causas da delinquência tem a ver com problemas sociais e económicos, o crescimento desordenado das cidades e as modificações psicológicas que muitas famílias enfrentam, culminando na desunião dos lares, rebeliões, falta de respeito aos adultos.
Vicente Graciano explicou que a família joga um papel preponderante na mudança deste quadro, primando fundamentalmente na educação e formação de uma única linguagem, que se consubstancia em fazer somente o bem.
A província do Bengo, segundo o responsável da área de prevenção , registou no ano passado 410 casos de crimes praticados por menores, com destaque para homicídios voluntários, roubos, furtos, violações e ofensas corporais. 

Tempo

Multimédia