Províncias

Melhorada circulação rodoviária na via entre Balacende e Kaiengue

Alfredo Ferreira e Edson Fontes | Cana-Cassala

A reabilitação dos 40 quilómetros de estrada que liga a localidade de Balacende a Kaiengue, até à sede comunal de Cana-Cassala, no município de Nambuangongo, província do Bengo, está a facilitar a circulação de pessoas e bens.

A reabilitação dos 40 quilómetros de estrada que liga a localidade de Balacende a Kaiengue, até à sede comunal de Cana-Cassala, no município de Nambuangongo, província do Bengo, está a facilitar a circulação de pessoas e bens.
Em declarações ao Jornal de Angola, o administrador comunal, Nunes Augusto, afirmou que a reparação do troço é uma mais-valia para a província, pois o desenvolvimento de qualquer região começa com as vias de acesso.
O responsável comunal revelou que a circunscrição tem vindo a receber, nos últimos tempos, pedidos de parcelas de terras, para a edificação de empreendimentos do ramo comercial.
Fruto da melhoria da via, os agricultores e camponeses estão satisfeitos por ser possível escoar os produtos do campo com maior facilidade, para os mercados de Caxito e de Luanda. O administrador apelou aos automobilistas no sentido de terem maior cuidado, para se evitarem acidentes, que são a grande causa de mortes em todo o país.
Fernandes Miranda, responsável administrativo da Soconinfa, empresa encarregue da execução da obra, disse que os trabalhos duraram três meses.
Segundo ele, neste momento decorrem trabalhos de drenagem e colocação de lancis.
Miranda revelou que a empreitada fez com que mais de 200 jovens conseguissem o seu primeiro emprego na área de construção civil, inserido no âmbito da responsabilidade social que a instituição tem para com a sociedade.
O responsável considerou que a melhoria das vias de acesso serve de convite para os homens de negócio retirarem vantagens diversas, sobretudo financeiras.

Jovens satisfeitos

Sebastião Alfredo, de 22 anos, disse à nossa reportagem que se sente satisfeito com o trabalho que faz, porque está a contribuir para a reconstrução do país. 
O jovem Sebastião indicou que a construção da estrada Balacende/Kaiengue permitiu o seu primeiro emprego e, aos poucos, consegue realizar pequenos projectos e garantir o sustento familiar.
Sebastião assegurou que o troço já reabilitado está a permitir aos automobilistas percorrer a distância entre Caxito e Nambuangongo e vice-versa em apenas três horas, contra as anteriores cinco.
Por seu turno, António Gomes, também funcionário, anunciou a sua pretensão de nos próximos tempos se especializar no ramo da construção civil, para estar apto a participar noutros projectos.
Ricardo Sebastião disse estar satisfeito, porque durante os três meses em que esteve envolvido nos trabalhos da empreitada aprendeu a manusear máquinas, como o cilindro e a retroescavadora.
Ricardo disse que com o que ganha pretende dar continuidade aos seus estudos, para adquirir mais conhecimentos académicos e ser um profissional à altura das exigências do mercado de trabalho, para contribuir na reconstrução do país.

Tempo

Multimédia