Províncias

Milhares de habitações no município do Dande

O município do Dande, sede da província do Bengo, vai passar a dispor de dez mil moradias, no âmbito do programa nacional de fomento habitacional, que prevê a construção de um milhão de casas em todo o país.

O município do Dande, sede da província do Bengo, vai passar a dispor de dez mil moradias, no âmbito do programa nacional de fomento habitacional, que prevê a construção de um milhão de casas em todo o país.
A informação foi prestada segunda-feira pelo presidente da empresa imobiliária Trilho, Gestão de Empreendimentos, Daniel Fernandes, no final da visita dos vice-governadores do Bengo para as infra-estruturas e para a esfera económica, Jorge Bessa e Domingos Guilherme, respectivamente, ao local onde serão erguidas as moradias.
Segundo Daniel Fernandes, deste número de residências, destinadas ao município do Dande, cinco mil serão construídas na localidade do Sassa-Cária, (comuna de Caxito) e igual número na comuna da Mabubas. A nível da província do Bengo, o projecto abrange a construção de 15 mil casas sociais T3 e T4.
O administrador municipal do Dande, Mateus Manuel, considerou que a iniciativa vai atenuar a carência de habitação para os funcionários públicos na cidade de Caxito, em particular, e na província do Bengo, no geral.
“Procurámos estabelecer esse contrato público privado para minimizar a situação da escassez de residências, que se regista no município do Dande”, realçou.
Quanto aos moldes de distribuição, disse que serão enviados formulários às direcções provinciais, institutos e outros organismos, para que cada funcionário interessado possa aderir ao projecto. “É a forma que encontrámos, porque durante muito tempo temos estado preocupados com a problemática de terrenos para dar às pessoas para construírem”, precisou.
O período estabelecido para que um funcionário público possa pagar a sua casa é de 20 anos, através de amortizações mensais através do banco.

Tempo

Multimédia