Províncias

Muculo está sem água potável e tem falta de postos médicos

Alfredo Ferreira | Muculo

Os habitantes da localidade do Muculo, município do Dande, têm atravessado momentos difíceis devido à falta de postos médicos e ao consumo de água imprópria, o que tem provocado um surto de diarreia e paludismo.

Os habitantes da localidade do Muculo, município do Dande, têm atravessado momentos difíceis devido à falta de postos médicos e ao consumo de água imprópria, o que tem provocado um surto de diarreia e paludismo. Para obter a água que consome, a população percorre quatro quilómetros a pé, ou paga cerca de mil kwanzas aos motoqueiros. Quando acometidas por alguma patologia, as pessoas têm de ir à cidade de Caxito numa caminhada de mais de 20 quilómetros.
Em declarações do Jornal de Angola, o presidente da cooperativa dos camponeses do Muculo, Virgílio Sape, explicou que, além da falta de estruturas sanitárias e água potável, aquela localidade carece, igualmente, de energia eléctrica. “Não existe nenhuma infra-estrutura para acomodar os alunos para terem melhores condições de aprendizagem,” acrescentou.
A falta de equipamento de rega e de meios de transporte constitui outra das grandes preocupações para a população camponesa. “Com a falta de equipamentos agrícolas e meios de transporte não se consegue escoar os produtos e trabalhar no alargamento das áreas de cultivo”, disse Virgílio Sape, referindo que a cooperativa não dispõe espaços de armazenamento e conservação dos produtos agrícolas.       
A localidade do Muculo é constituída por cerca de 400 habitantes, dos quais 150 fazem parte da cooperativa. Parte da população dedica-se à pesca.

Tempo

Multimédia