Províncias

Muitas famílias no Bengo contempladas com bens

Maiomona Artur | Caxito

Um total de 1.435 pessoas da província do Bengo beneficiou, em 2016, de duas toneladas e meia de bens alimentares diversos, no quadro do programa de apoio social, disse ontem, em Caxito, a directora provincial da Assistência e Reinserção Social (DPARS).

Anastácia de Vasconcelos disse que tais apoios se consubstanciam em alimentos e enquadram-se na protecção social das pessoas, abrangendo 287 famílias, com realce para as crianças controladas pela instituição, menores infectadas pelo VIH/Sida e deficientes.
A responsável esclareceu que 1.722 pessoas, entre crianças vulneráveis, idosos e jovens reintegrados, num total de 344 famílias dos municípios do Dande e Pango Aluquém beneficiaram de uma cesta básica e 104 outras foram contempladas com 710 chapas de zinco, no âmbito da melhoria e reconstrução das residências.
No que diz respeito ao repatriamento, avançou que a DPARS recebeu e encaminhou duas pessoas oriundas do posto limítrofe do Luau, província do Moxico, para o município de Icolo e Bengo, província de Luanda.  A directora da Assistência e Reinserção Social informou que 555 famílias assoladas pelas chuvas foram registadas e apoiadas com chapas de zinco. Ao todo, foram 2.775 pessoas afectadas nos municípios de Bula Atumba, Dande, Dembos, Nambuangongo e Pango Aluquém. />A directora provincial da Assistência e Reinserção Social sublinhou que, durante o ano em balanço, a DPARS se debateu com algumas dificuldades, como a exiguidade de pessoal para melhor dinamizar os programas e projectos ligados à assistência e desenvolvimento da acção social e ao défice de equipamentos básicos para os centros infantis comunitários (CIC). 
A responsável apontou como perspectivas o apoio às crianças dos CIC e as que se encontram em condições de vulnerabilidade, expansão dos programas infantis comunitários e de educação em todos os municípios e geração de rendimento.
Foram assistidos igualmente 125 idosos, em 2016, com bens de primeira necessidade, como bengalas, muletas e óculos, que contribuíram para a reabilitação dos anciãos, que enfrentavam muitas dificuldades.
A DPARS encaminhou nove idosos para a sua reintegração nas províncias do Bengo, Bié, Huambo, Cuanza Sul e Luanda.
Anastácia de Vasconcelos revelou ainda que 220 pessoas, com deficiência, foram

Tempo

Multimédia