Províncias

Município garante casas e transporte para docentes

O administrador municipal de Icolo e Bengo, António Calado, garantiu que estão a ser criadas as condições habitacionais e de transporte para os docentes provenientes de outros municípios. 

O administrador municipal de Icolo e Bengo, António Calado, garantiu que estão a ser criadas as condições habitacionais e de transporte para os docentes provenientes de outros municípios. 
Em declarações à Angop, António Calado referiu que, até ao final deste mês, vão ser construídas residências para os professores e responsáveis de escolas nas localidades de difícil acesso.
“Já temos um acordo com as direcções dos Caminhos-de-Ferro de Luanda (CFL) e a Empresa de Transportes Colectivos de Luanda (TCUL), que esta semana começaram a realizar viagens até à sede do município, Catete, nos dias normais de trabalho”, assegurou.
António Calado afirmou que o projecto vai igualmente beneficiar os funcionários do sector da saúde, com destaque para os enfermeiros.
O administrador reconheceu que durante o ano lectivo passado o corpo docente em várias localidades de difícil acesso abandonou as escolas, por falta de recursos financeiros para sustentar as deslocações diárias.
No município de Icolo e Bengo existem 68 escolas, duas das quais do II ciclo. Fazem parte da circunscrição as comunas de Bom Jesus, Cabiri, Cassoneca, Caculo Cahango e Catete.
O município , recentemente integrado na província de Luanda, no quadro da nova divisão política e administrativa, conta com uma população estimada em 180 mil habitantes. Tem 78 povoações, numa área de 3.820 quilómetros quadrados. A população dedica-se, maioritariamente, à agricultura de subsistência e à pesca artesanal. O município é muito procurado, aos fins de semana, pelos apreciadores de peixe cacusso.

Tempo

Multimédia